O cão e o gato…

- 2003/12/15

Que belo dia para uma busca às caches!!! Sol, temperatura amena, óptima companhia (MAntunes e o inseparável Snoopy), e uma região bonita são os ingredientes mais que suficientes para uma tarde bem passada! Nem percebo como é que há pessoas que preferem ir para a neve ou ficarem em casa a comer Cozido à Portuguesa, em vez de nos fazerem companhia na caça à Loca do Gato (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?guid=34cca4f2-91d2-4d3a-b864-d7eb8fd776de)…

Estas caçadas colectivas começam quase sempre da mesma maneira: O MAntunes chega à hora combinada (com exactidão ao minuto, acreditem!) no seu cachemobile, com o farejador de caches encaixotado, no porta-bagagens.

Cumprimentos, cumprimentos e lá vamos nós em busca do local indicado…

Desta vez, ao chegarmos a um local que nos pareceu ser o indicado pelo clcortez para deixarmos as viaturas,
tratámos de tentar confirmar a localização com as coordenadas fornecidas pelo Cláudio. Como o MAntunes aparentemente não confia no meu GPSr (vá lá perceber-se porquê… É muito mais bonito que o dele…) e, além disso, não tinha feito os trabalhos de casa, teve de meter à mão as coordenadas, que por sinal estão
escritas numa numenculatura diferente da habitual.
Resultado: a cache encontrava-se a…. Tcham, tcham, tcham… 2900 e tal km de distância! Risada geral!

Esta deve estar lá para a Gronelândia, pensei… Como qualquer pessoal habituado aos programas do nosso amigo Bill "Portões", vai de fazer reboot ao "bicho".

Como o mal persistia, mesmo depois das festinhas, lá teve ele de usar sua inigualável experiência de informático e, penso eu, deve ter-lhe feito alguma "proposta irrecusável" e o pobrezito lá atinou nos 800 e tal metros. O coitado do GPSr esta noite até vai ter pesadelos com cabeças de cavalo na cama!

Enfim, após esta breve preparação dos equipamentos, metemo-nos a caminho, monte acima, até começarmos a avistar o relevo em costeira, nosso destino. Como normalmente partilho o gosto de abordagem directa do MAntunes, lá fomos nós a direito até às imediações do local indicado pela "setinha". Optámos por um pequeno desvio, fazendo a apróximação pela parte superior do dito relevo calcário.

Até chegármos ao "ground zero" foi um saltinho e, como habitual nestas caçadas, a busca foi feita individualmente. Desta vez calhou ao MAntunes a tarefa de "abrir as hostilidades" e começar à procura do
tesouro, enquanto eu ia dando umas voltas pelas redondezas, para tirar umas fotos. Uns 20 minutos depois, vendo que ele já tinha andado a "apalpar" as pedras todas da região, comecei a julgar que, se um "crominho" como ele não a encontra, como é que eu a vou encontrar?! Ai, ai, ai…

Foi então a minha vez de gastar os meus 20 mins a "re-apalpar" as pedras que tinham ficado mal servidas, desta vez com um toque muito pessoal de geólogo, o que, confesso, não serviu de muito…

Curioso foi verificar que os nossos aparelhinhos, apesar de tão diferentes (Garmin Legend e Magellan Meridien Platinum), concordaram em indicar-nos exactamente o mesmo local! Num dia com o céu tão limpo, com todos os satélites e mais alguns disponíveis excepto os do EGNOS… Sniff), nem outra coisa seria de esperar…

Bem! Combinámos então passar ao Plano B e procurar em conjunto, num local menos óbvio, mais afastado do local indicado pelos GPSr mas onde ambos queríamos procurar. Eu ataquei por um lado e ele atacou por outro e, em muito poucos minutos, tivémos sucesso, tendo-se acabado por encontrar a caixinha!

Como esta cabecita já não "funcemina" lá muito bem, depressa reparei que me tinha esquecido de levar os "porta-chaves" para troca… Tive que me contentar em fazer o log e em limpar cuidadosamente a caixa, o seu conteúdo, e especialmente o saco exterior, que acabou por ser trocado por um novo, por estar num estado um bocado lastimoso.

Sugiro ao próximo visitante que leve um novo lápis porque aquele já está a ficar um bocadito pequeno… Não que eu tenha contribuido para isso, por ter andado a partir-lhe o bico, não…

Após os cumprirmos os rituais "geocáchicos", fomos fazer uns visitinha à Gruta do Penedo do Gato, bem engraçada por sinal, e tirar mais umas fotos para a recordação deste interessante local.

Achei bastante engraçado o texto sobre a gruta, constante na cache, que faz referência a objectos de interesse arquiológico que ali foram encontrados e que se encontram no Museu do Instituto Geológico e Mineiro (MIGM).

Aproveito para sugerir a todos uma visita urgente a este museu, com características únicas em Portugal. Com a extinção do IGM, actualmente em curso, sabe-se lá o que a tacanhez e falta de visão dos nossos políticos guarda para o futuro do seu espólio. Desculpem o desabafo, mas após trabalhar para o IGM nos últimos seis anos e meio, estou a ver a coisa cada vez mais mal parada!

Enfim, após a dita visita à grutinha, lá seguimos caminho em direcção ao carro, deixando para trás aquele local tão interessante. Mas a gruta ficou bem acompanhada com os seus quatro novos amigos, gigantes de metal, que com as suas enormes pás rodopiantes facilmente aterrorizariam os nossos antepassados que nela se abrigaram.

Mais uma vez o Snoopy deu asas à sua alegria, a correr e aos saltos, enquanto descíamos o monte.

Obrigado clcortez por nos teres proporcionado um passeio tão agradável, aqui tão perto de Lisboa, mas que nos fez esquecer por momentos o rebuliço do nosso dia-a-dia. Um abraço!

2 responses so far ↓

  • 1 Rechena // Dec 15, 2003 at 10:08

    apos ter lido a aventura do Mantunes e agora esta fiquei com uma enorme vontade de fazer esta cache :)… Obrigado a ambos pelas aventuras aqui contadas…

  • 2 bargao_henriques // Dec 15, 2003 at 10:54

    Acho que fazes muito bem!!!
    Não percas essa oportunidade.
    Esta cache está num local muito interessante e a volta torna-se num passeio muito agradável. Só é necessário alguma paciência e engenho para a encontrar…

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 34 queries in 0.113 seconds.