O que são Travel Bugs? Como se criam e utilizam?

ricardobsilva - 2003/05/07

Com o intuito de esclarecer os geocachers sobre Travel Bugs apresenta-se os pontos

mais importantes, pelo que se subsistirem dúvidas, o forum é um bom local para as

esclarecer.

Os Travel Bugs são como o nome indica uns "amiguinhos" que gostam de viajar,

saltando de cache em cache, sendo possível acompanhar online o seu trajecto. E a

forma como o Geocaching.com disponibilizou esta funcionalidade, foi vendendo umas

chapas metálicas, semelhantes às chapas de identificação de militares, que contêm

um código em torno do qual se pode manipular o TB. Mas vamos por partes.

Para se criar um TB é necessário em primeiro lugar adquirir as chapas oficiais,

também referidas como dog tags. Juntamente com elas e com o código impresso nas

próprias, recebe-se um código para o autor activar o TB. O autor tem em seguida de

pensar qual o objectivo que pretende. Por exemplo o Iberia quer passear pela

península ibérica, o Aussie quer chegar à Austrália e voltar, entre outros.

Depende da criatividade de cada um. Depois, algo que é facultativo, mas que

practicamente acontece em todos os TBs, é juntar algo que o torne único, um

boneco, um porta chaves, algo que o autor associe à "personalidade" do TB.

Portanto, o TB é em termos físicos constituído por uma chapa de identificação, um

acessório, uma corrente enviada juntamente com a chapa e por vezes um passaporte

que descreverei a seguir.

Depois disto, basta registá-lo no site, publicando o seu objectivo, e colocá-lo

numa cache, tanto fisicamente, como logicamente, inserindo um log na página da

cache em como o TB ficou lá. Algo que entre nós, geocachers portugueses, decidimos

fazer foi criar um passaporte que anda junto com o TB para que quem o encontre

facilmente saiba o seu objectivo. Este passaporte está disponível no grupo de

discussão "Geocaching em Portugal".

Quem encontre um TB, pode através do passaporte descobrir o seu objectivo. Pode

também antes da caçada, consultar a página da cache na qual está o TB, e assim

consultar antecipadamente o seu objectivo. Depois é necessário decidir se o

conseguimos ajudar ou não. Não se deve pegar num TB se não se conseguir ajudá-lo a

cumprir o objectivo. Mas supondo que se decide trazê-lo, é necessário depois no

site do Geocaching.com com o código da chapa fazer um log "I have it" na página do

TB. Isto fará com que o TB fique no nosso inventário. Desta forma, quando o

deixarmos noutra cache, ao registar o log na página da cache é possível passar

logo o TB do nosso inventário para a cache.

Alguns aspectos importantes:

– Nunca publicar o código do TB em logs nem através de fotos que inadvertidamente

mostrem a chapa;

– Ao fazer o log "I have it" na página do TB, em primeiro lugar confirmar que ele

"está" na cache onde o encontrámos. Se estiver ainda na "mão" de outro geocacher,

por exemplo porque quem o colocou na cache ainda não teve tempo para registar no

site que o fez, se mesmo assim registar-se o log, o TB deixa de estar no

inventário do outro geocacher que assim já não poderá fazer o "drop" na cache.

Como resultado, no trajecto do TB não irá aparecer a sua estadia naquela cache.

Devemos então dar tempo para que o outro geocacher faça o drop, e quem sabe

contactá-lo a pedir que o faça.

– Em caso de dúvidas contactar sempre o autor do TB.

Cumprimentos

Ricardo BORDEIRA Silva

1 response so far ↓

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.127 seconds.