Geocaching na Big Apple

SUp3rFM - 2006/01/10

Um dos nossos sonhos era vistar Nova Iorque e estar numa das maiores celebrações do Ano Novo, em Times Square. Os dois objectivos foram conseguidos sem grandes complicações. Porém, o bichinho do geocaching já se apoderou de nós há algum tempo e esta era uma oportunidade de ouro para procurar os tupperwares noutro país, convivendo assim com outras realidades deste jogo.

Dado que ficámos na baixa de Manhattan, junto a Wall Street, sem carro, restringimos o geocaching apenas a zonas onde facilmente poderíamos chegar de metro. Uma das zonas nobres e obrigatórias era naturalmente o Central Park, “rico” em caches. Outra área com algumas caches era a zona de midtown. No total, preparámos uma busca a 21 caches.

Num país que vive um clima de permantente ameaça (alimentado ou não, mas isso é outra questão…) é fácil perceber porque razão nesta cidade há “tantas” caches virtuais, contrastando com as físicas. Aliás, julgamos nós que há poucas caches em Manhattan, o que é estranho porque o fenómeno do geocaching não é assim tão recente por estas bandas. Naturalmente, seria complicado colocar caches físicas em zonas onde estivémos tal é a segurança nos locais. Mas quando há oportunidade, eis que aparecem algumas caixitas suficientemente grandes para deixar 2 ou 3 TB´s. Resolvemos ainda adicionar mais um ícone curioso no nosso perfil, o das NGS Benchmarks. Basicamente, cabe-nos encontrar pontos de referência do National Geodetic Survey, dos EUA.

No entanto, encontrámos algumas caches físicas cujas formas nos decepcionaram. Parece que aqui é moda fazer micros com pequenos chaveiros com imans acoplados a cabines telefónicas, corrimões, etc. Stash notes e um aviso para não retirar a cache ou algo que o valha é uma miragem apenas. Logbooks com este nome encontrámos apenas 2! O resto eram papeís soltos, bilhetes de autocarro com os logs e restos de algo com alguns borrões de tinta completamente molhados. Os presentes dentro das caches também escasseavam, ou então eram substituídos por coisas tão estranhas como uma pastilha, uma luva ou bilhetes de autocarro rasgados.


Uma das caches pobrezinhas…

Mas nem tudo é mau. Confirmámos mais uma vez, como se houve necessidade de tal, para perceber como é espectacular o geocaching. No roteiro que desenhámos passámos por locais que julgávamos nem existir e conhecemos recantos escondidos de Nova Iorque. Encontrámos desafios engraçados para dar com as caches, especialmente as micros. Talvez por ser uma cidade electrizante onde há espaço para tudo (ou quase) não tivémos qualquer problema em procurar as caches. Os muggles que passavam estavam claramente mais interessados na sua vida do que a tentar descobrir o que andavam aqueles turistas a fazer.


Esquilos? Por toda a parte!

Por coincidência, ou talvez não, chegamos ao nº100 numa cache curiosa, a Walking in the Park with an Admiral situada num jardim bem no meio da midtown de Manhattan, povoada por esquilos que vem ter às nossas mãos à procura de comida, e um contentor que nos surpreendeu.


Belo trabalho neste contentor

O balanço final, apesar de tudo foi positivo. Foi bom testar as nossas capacidades sem ajuda de ninguém, completamente sozinhos e deparar com outra forma de estar no geocaching (com os aspectos positivos e negativos). Das 21 que delineámos, só 3 nos escaparam! Estas ficarão certamente para uma próxima! Cabe-nos ainda agradecer aos rifkindsss e ao Torgut pela ajuda a fazer a NYC Corner Cache. Os amigos são para as ocasiões, certo?

Outro facto curioso, quando lá estávamos outro geocacher português andava a fazer das suas por lá, o fmamaral que fez umas virtuais!

Tudo se conjugou para tornar este viagem inesquecível! Se alguém estiver para lá ir e quiser trocar algumas impressões, contactem-nos. Será um prazer reviver os momentos que por lá passámos. Até lá, e se desejarem, leiam os nossos últimos logs.

9 responses so far ↓

  • 1 lopesco // Jan 10, 2006 at 21:25

    Isso é que foi um reveillon!!!

    Se Deus ( ou quem tiver de serviço..  :D) quiser, também farei o mesmo!

    Um abraço

  • 2 lamas // Jan 10, 2006 at 23:37

    Gostei do vosso artigo, e estive a ver todos os vossos logs e fotos…
    Que mais posso dizer senão agarrar no titulo do comentario do lopesco…
    Espectáculo!!!

  • 3 Walrus // Jan 11, 2006 at 00:01

    Sim senhor, grandes caçadas lá pelas terras do Tio Sam…

    Abre o apetite a qualquer geocacher 🙂

  • 4 Rechena // Jan 11, 2006 at 08:29

    buaaa que invejaaaaaaaaaaaa :(((
    a big apple é uma daquelas cidades que sempre sonhei visitar…

  • 5 esquilas // Jan 11, 2006 at 09:24

    Quando for grande tambem vou lah procurar umas caches

  • 6 danieloliveira // Jan 11, 2006 at 09:31

    Obrigado pelo relato. Assim já sabemos o que nos pode esperar. Fica aqui o vosso "Geocaching guide to New York" :)para futura pesquisa.

  • 7 pascoa // Jan 11, 2006 at 09:42

    Altamente !!!!

    Espero um dia seguir as vossas pisadas e fazer o mesmo que vocês é só uma questão de tempo ($$$).

    Acho que vou passar a ter tempo depois de sexta.

  • 8 2 Cotas // Jan 11, 2006 at 11:56

    …tá verde…!

  • 9 Cachapim // Jan 11, 2006 at 12:13

    "If (you) can make it there
    (You)´ll make it anywhere
    It´s up to you, New York, New York. "

    Parabéns! Adorei o artigo! Por coincidência tinha estado há dois ou três dias a ver as caches de Manhattan no Google Earth. Nunca se sabe…

    Gostei particularmente do pin do FCP! É que eu só descobri a "nossa" afinidade (azul e branca) "depois" do encontro 6feetunder/halfamountain! (Hint: Magia ontour) 🙂

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.106 seconds.