Expedição à Média Fronteira. A Verdadeira História

Bargao_Henriques - 2006/02/11

Tudo começou há uns 2 meses, quando comecei a ficar com um certo formigueiro, causado pelas saudades de uma caçada em grupo…

Há muito que tinha as caches “Far away, so close” e “El Buraco” debaixo de olho, por isso as peças do puzzle foram-se juntando aos pouco e nasceu a ideia para a “Expedição à Média Fronteira”!

Depois de falar com o meu colega Daniel, que prontamente assegurou que iria, apresentei brevemente a ideia num meetup. O passo seguinto foi lançar o convite de forma mais generalizada, num forum deste site.

Rapidamente apareceram interessados e, hoje, depois de algumas desistências e outras adições de última-hora, a equipa consistiu em:

Partindo da casa do PH
PH (Bargao_Henriques)
DanielOliveira
Rechena
ClCortez e
Lynx Pardinus

Da casa do MAntunes
MAntunes e
Mila
(Com destino a Vila Velha de Ródão, com passagem prévia por Castelo Novo, para uma manutenção)

Do Norte
Páscoa
Walcarr
Olharapo (apanhado no Centro)

De Loures, passando pelo Oeste
BTRodrigues
Sara e
VSergio

Vindo de… Hiperespaço?!
Almeidara

Ao todo fomos 14, uma bela equipa!

O dia começou mal pelas minhas bandas, com 2 filhos doentes, uma noite bastante manhosa e uma forte dúvida sobre a minha permanência em Lisboa, a pairar no ar…

Mas enfim, lá me decidi a sair quando…

05:19 SMS Rechena
“Tou cá :-)”

Desço, encontro-o já com o Daniel, arrumam-se coisas, conversa-se, espera-se…

05:40 SMS para o Cláudio
“Estamos todos. Demoras?”

05:49 SMS Cláudio
“On the way! Estou so a meter combustível q estava nas lonas. 15 min no max.”

06:08 Chega o Cláudio. Bora!!!

Rumo ao destino, trocam-se telefonemas e SMS com o resto da comitiva e combina-se um encontro com a malta dos Nortes, que entretanto chegara à área de serviço de Abrantes.

(siga a história )

36 responses so far ↓

  • 1 danieloliveira // Feb 12, 2006 at 08:46

    Chegados à estação de serviço de Abrantes, vemos os nossos colegas do norte a rodearem um PC.
    Os malandros estavam a fazer o log to FTF da cache de de Constância. Claro que já tinhamos sido avisados por SMS antes mas depois viemos a saber que a cache estava guardada por um príncipe encantado (na forma de uma sapo).

  • 2 danieloliveira // Feb 12, 2006 at 08:53

    …..é preciso fazer aqui uma correcção. O olharapo é mais do centro do que do norte.

    Estava aqui a pensar que um TB, chamado Webby, andou aos saltos nesta expedição e a sua história começou no "el buraco".  Porém, não sei se a relato aqui……:)

  • 3 bargao_henriques // Feb 12, 2006 at 09:56

    Aguenta lá um pouco esses TBs 😉

    Na estação de serviço não se passou grande coisa, a não ser uma alegre confraternização Norte-Centro-Sul, enquanto aguardávamos um pouco pela chegada de todos os participantes, o que não tardou.

    Às 7:50, devidamente informados por SMS das movimentações da família Antunes, saímos em direacção à "Far away, so close", nosso primeiro destino primordial, onde chegámos às 8:30!

    Mochilas às costas, bastões na mão, lá vamos nós a caminho monte abaixo! Pelo meio das estevas e carrascos, "ai", "ui", "PH espera um pouco", "vamos antes por ali…"

    Olha, olha quem está lá em baixo na curva!!! O MAntunes!!!
    "MANTUNEEESS!!"
    "FIUUUUUuuu…"
    "Raios, não ouve…"
    "Bem, continuemos!"
    E assim fomos progredindo em direcção ao precipício que nos agurdava…

    Pelo caminho ainda houve tempo para várias fotografias, no Tejo, das fragas…

    …e dos "artistas"

    Houve também tempo para a aula de geologia da praxe (Quem vai em viagens comigo e com o Daniel já sabe como é… )

    Chegados so local, "Ahh", "Ohh", "coisa mais linda", "OLHEM OS GRIFOS!!!", "Que local fascinante, pá!"

    Realmente o GreenShades mostra-nos cá umas pérolas…

    A cache foi encontrada imediatamente, e os logs não terdaram a estar registados, prendas trocadas, TBs para lá e para cá, etc…

    Um bom tempo depois, já saciados de observar todos os pormenores daquele fascinante acidente geológico, começámos a nossa subida, de encontro aos amigos que nos esperavam e às próximas caches.

    A subida, como é claro, não foi tão fácil como a descida, mas mesmo assim fez-se bastante bem.

    Daí a pouco já estávamos a ouvir o MAntunes a emitir chamamentos pelo PMR, mas ele não ouvia as nossas respostas (Sub-canais, sub-canais… Aiaiai…)

    Mas enfim, não tardou até que estivéssemos frente a frente, para um encontro sempre agradável!

    (continua a história)

  • 4 MAntunes // Feb 12, 2006 at 10:15

    Eu, como fiz parte de uma história paralela até ao momento em que vocês regressaram aos carros na "Far away, so close", conto já aqui a minha parte àparte:

    Entrei na AE às 5H28 e cheguei a Castelo Novo às 07H26… (Safa… ainda me lembro do tempo em que se demorava meio dia para lá chegar… a  AE era só até VF Xira, e não havia  ICS, nem IPs… eram só ENs e EMs cheias de buracos…)

    Pelo caminho ainda parei para abastecer na AS de Abrantes e troquei alguns SMSs com o PH, o btrodrigues e o olharapo. A Mila estava com tanto sono que não quis sair para tomar café – só acordou quando, mais tarde, viu a placa "Castelo Novo" à frente dos olhos (ela não sabia que íamos lá).  

    Chegado a Castelo Novo, verifiquei que as obras no Castelo são mesmo profundas e o local da cache foi todo renovado…  (vou colocar fotos na página da cache) A cache, ou ficou emparedada ou foi para o lixo… Vou esperar pelo fim das obras para ir lá ver da possibilidade de recolocação.

    Depois de informados os outros por SMS, que já estavam a menos de meia hora da "Far away, so close", lá voltei para Sul e parei na AS de Castelo Branco para, agora já mais repousadamente, tomar o 2º pequeno almoço, a bica e comprar revistas antes de ir para VV Rodão.

    Enquanto passava por VV Rodão (com uma mão a tapar o nariz e a outra a conduzir ) soube que os outros já estavam nos "300 metros". Respondi que esperava por eles junto aos carros.

    Quando comecei a subida para a montanha, tenho o primeiro contacto visual com os outros, lá no cimo, a caminharem em fila na zona mais plana do percurso e a aproximarem-se do topo da falésia. Tentei comunicar com eles por PMR e resultou mas apenas num sentido (eles ouviram-me e acenaram) porque o sub canal estava diferente do deles.

    Chegados aos carros, deu tempo para levar a Mila, até à zona mais alta do percurso, logo a seguir à "torre das águias" (que está a ter o mesmo tipo de intervenção que o castelo de Castelo Novo) e esperar lá por eles  enquanto íamos trocando algumas larachas, via PMRs, algos curiosas; eu falava por PMR e eles respondiam-me aos gritos. Funciona!   (a questão do subcanal ainda não tinha sido descoberta).

    Quando finalmente nos encontrámos juntos aos carros (para onde eu e a Mila nos tinhamos deslocado um pouco antes para não terem que esperar por nós) foi o encontro com o grupo; abraços e beijinhos e a excursão seguiu, agora completa, em direcção a "El Buraco".

    Só de referir que, sempre que encontro o Ricardo "Walcarr" numa cache dos "GreenShades", ele está "mais para lá, do que para cá". Nem conseguia falar! Mas já emagreceu 7 quilos. Boa Ricardo! Continua! Ainda tens mais umas caches do Greenshades para procurar.  

  • 5 danieloliveira // Feb 12, 2006 at 10:41

    E os pãezinhos de chouriço ANTES de iniciarmos a caminhada? Ontém não havia que chegassem e hoje ninguém se lembra? Olhem que assim não ponho cá receita! E depois o que acontece ao Bruno que já já foi "avisado" pela boss lá de casa para os fazer?

  • 6 btrodrigues // Feb 12, 2006 at 11:34

    Pois. Os pãezinhos com chouriço que a mãe do Daniel fez ganharão no futuro uma projecção tão grande como o chourição do PH (ou paio). São deliciosos e acho que o teu log devia incluir a receita.

    Gostava de acrescentar uma coisinha ao momento em que se descia para a cache. Há um momento breve em que o silêncio natural do sítio se rompe pelas nossas vozes e pelo restolhar natural do nosso progresso. As aves de rapina que habitam o sítio acordam, levantam voo e ficam ali a rondar à volta por uns 20/30 segundos. Fiquei estupefacto.

    Bem, a progressão até ao "el buraco" decorreu em filinha indiana, sem problemas de maior. Parámos em cima da ponte para a fotografia da praxe às Portas do Rodão, deixando de vez as beiras para entrar no Alto Alentejo em direcção a Castelo de Vide.

    A primeira impressão que fica deste Alto Alentejo é a persistência do verde nas paisagens desertificadas, com uma casinha ou duas a romper a saudável monotonia dos campos. Mas as aldeias e vilas estão bem cuidadas, muito decoradas, com infraestruturas e sinalização novas, muito limpas e ordenadas, uma visão impressionante num país que se diz caótico e desgovernado… E quem fala de desertificação devia ver a vida que jorra destas ruas e praças por onde passámos!!!

    Em direcção à Portagem, com o Marvão a piscar o olho, seguimos então rumo à fronteira, para Valencia de Alcantara… A primeira surpresa (não é preciso ser bruxo) é a gasolina a 99 cêntimos (quem lhes manda meter uma bomba a 300m da fronteira?).

  • 7 pascoa // Feb 12, 2006 at 12:36

    Voltando umas horas atrás…;

    Sexta-feira 10/02/2006 às 22:30

    Estava eu a despedir-me dos participantes do Francesinha GeoMeetup para me dirigir para Leiria, quando do Walcarr «lembrou-se» que afinal também ia à Expedição, se saíssemos no sábado. Após uns momentos de pânico, lá telefonei ao olharapo a dar as novidades e recombinar as coisas.

    Depois de fazermos a cache Grand Prix lá fui para casa desfazer as malas e tentar descansar 2 horas.

    Por voltas das 4 da manhã estávamos de partida em direcção a sul para nos encontrarmos com o olharapo. Objectivo atingido pelas 6:15 e dirigimo-nos para Constância para fazermos um FTF à cache Camões [constância]

    De volta ao caminho, telefonemas feitos e paragem na ES de Abrantes na A23.

    Já em Espanha…;

    Chegamos ao local do El Buraco avistamos lá no alto o local onde estava a cache, mas foi com alivio que o Rechena, via PMR, mandou o pessoal seguir, de carro , e começamos a subir. Dirigimo-nos 1º ao local mais alto para visitar o miradouro e fazer inversão de marcha. Como estava um belo dia de verão, a visibilidade era total e apreciou-se a bela paisagem que era oferecida.

    Estacionados os carros no local de acesso à cache lá seguimos pelo trilho e rapidamente avistamos o buraco. Visitamos o local, com alguma decepção à mistura para alguns, não foi fácil descobrir as gravuras e o local parecia ter «mão humana», embora o PH achasse que não (ele explica melhor depois). Aos poucos o pessoal dirigiu-se à cache e feitos os logs e a troca de prendas habitual, rapidamente pusemo-nos a caminho de Portugal porque a fome já apertava, e bastante.

  • 8 ricardorsilva // Feb 12, 2006 at 12:41

    Eu continuo a achar que a ´Far Away´ so close´ tem muito mais piada se for abordada pela linha de comboio…

    Do percurso entre a ´Far away, so cose´ e a ´El Buraco´, ficaram 3 marcos verdadeiramente imperdíveis! (pelo menos para mim)

    Quem não sintonizou a Rádio Portalegre, perdeu um dos melhores programas radiofónicos matinais de Sábado que existe em Portugal. A apresentação era a cargo de um locutor normalíssimo, que, de vez em quando, ´passava a bola´ ao Miguel. Futura grande estrela em ascensão do panorama radialista nacional, o Miguel tem para aí 11 anos, entrando com afirmações mais surreais que se possa imaginar como o anúncio ao dia dos namorados (impagável), o calendário dos jogos de futebol das equipas do distrito (incluíndo as ´Águias do Gavião´ contra o ´Ferroviário FC´) e, de 5 em minutos, o anúncio a um concurso patrocinado pelo restaurnte ´Ináudito´ – tudo isto, com um inquestionável vozeirão feminino!!! (é o que dá a ´exploração do trabalho infantil´!!!)

    O segundo marco foi, sem dúvida, a crista quartzítica que se desenvolve de Marvão, passando pela raia espanhola – uma formação espectacular, que começou a ´gerar ideias´ em pérfidas mentes geocachianas…

    Por último, o terceiro marco, verdadeiramente inesquecível (pelo menos pelo meu carro). Depois de subirmos por uma estradeca de terra batida até ao topo do monte onde está a ´El Buraco´ (depois de uma investida por Espanha a cumprir escrupulosamente os limites de velocidade), resolvemos dar a volta e deixar os carros estacionados no parque de um miradouro, enquanto dávamos lá uma saltada rápida – vista soberba 360º, Castelo Branco e Portugal ao fundo, aconselho vivamente a quem for fazer esta cache. Na volta, a tirar os carros do sítio onde estavam parados, decidi, inadvertidamente, fazer um ´peeling´ à porta do ado esquerdo do meu carro, com um poste de ferro que estava abaixo da minha linha de visão (apesar do grito do VSérgio assim que percebeu o que ia acontecer). Uppsss! Foi uma boa oportunidade para recordar Teoria Gera da Economia e o Príncipio dos Custos Afundados ("Se um custo já foi assumido no passado e é irreversível, não o devemos tomar em linha de conta para decisões futuras" – ou, traduzindo, se já não podia ´desriscar´ o carro, também não ia ficar de mau humor por isso).

    Lynx Pardinus

  • 9 btrodrigues // Feb 12, 2006 at 13:01

    alto e para o baile! Ó lynx,essa da rádio portalegre merecia ter sido anunciada pelo pmr! Ó páscoa, queres ir já para portugal? E as jolas que vocês entornaram ainda no rescaldo do buraco? E o galo de barcelos que o mantunes deixou, acabado de comprar em castelo branco, para deixar na cache? E os berros no pmr dos caçadores de javali "epà, tá aí um porco mesmo à tua frente!"?  

  • 10 pascoa // Feb 12, 2006 at 13:06

    Tens toda a razão.

    Já não me lembrava disso, mas olha que afinal era uma porca.

  • 11 MAntunes // Feb 12, 2006 at 14:03

    houve quem ensaiasse; "Estou a ver um porco com uma espingarda na mão!" Mas  não repetiu muitas vezes, senão ainda  um tiro na nossa direcção…

    Depois da "El buraco" fomos almoçar. Fui À frente com a incumbência de encontrar um bom local, com sombra, para almoçar-mos…

    Sombra… em Espanha… porque que é que eles inventaram os "sombreros"?!

    Bem, lá fomos andando, com o PH a dizer-me uma vez ou duas para abrandar, e chegados à Valência de Alcantara, alguém me diz pelo PMR para parar nas bombas da Galp "aí à frente"… E uvou andando e, além da Cepsa, não vejo nada… como me pareceu que aquela localidade não era suficientemente grande para ter dois postos de abastecimento, pergunto ao Almeidara se não seria aquelas "bombas" (o Almeidara tinha passao para o meu carro antes de entrarmos em Espanha e deixado o dele em Galegos, portugueses, para se poupar algum combustível – podíamos ter feito isto mais cedo e com mais carros). Sim, eram aquelas as "bombas" da Galp… Alguma confusão mas os PMRs provaram a sua utilidade e alguns minutos depois, estávamos a estacionar num jardim (com sombra! com sombra!) para comermos. O engraçado é que o pessoal decidiu pôr a mesa no chão para espanto de alguns espanhóis que, ao passar, olharam furtivamente.

    E lá fomos provar o chourioço do PH. Os pães com chouriço do Daniel (têm uma dieta muito semelhante…) mas o seu chifhon, a minha Sericaia, os salgados do Bruno (ou da Sara?), etc. etc…

    Alguém quer acrescantar alguma coisas? Ou vamos para Portugal?

    É que nas duas passagens perto da crista quartzítica e de Marvão, eu e o Claudio ficámos com as orelhas a arder para colocar-mos ali umas caches…

  • 12 btrodrigues // Feb 12, 2006 at 14:13

    Talvez não estejamos a ser suficientemente gráficos no que respeita ao almoço. O VSergio estendeu uma toalhinha no chão e colocou-se lá o pão, o chouriço do PH, o queijinho, uns salgados, a bôla do Olharapo, uns sumos, umas batatas fritas… e tava feita a coisa… Para sobremesa, havia sericaia (MAntunes), chifon de chocolate (Daniel, essa receita?) e um bolo feito pelo Exmo. Administrador Todo-Poderoso deste site. Eheh.

  • 13 bargao_henriques // Feb 12, 2006 at 14:18

    Esqueceram-se dos queijos!

    Então o cenário era exactamente este:

    Que tal, tratamo-nos bem ou não?

  • 14 clcortez // Feb 12, 2006 at 14:35

    E esqueceram-se das jolas também!!

    Já o sol se tinha posto ainda andava o PH a resmungar porque não levei também um Sumol de laranja para ele…:)

  • 15 ricardorsilva // Feb 12, 2006 at 15:39

    Só fatavam uns garrafões de tinto e umas marmitas com feijoada! E o auto-rádio a dar o relato da bola do Benfica, como ´cereja no topo do bolo´!

    Mas lá que foi um almoço fabuloso, lá isso foi!

    Lynx Pardinus (ainda a fustigar-se pela Rádio Portalegre e os PMRs)

  • 16 vsergio // Feb 12, 2006 at 18:35

    Far Away So Close:
    Com o espírito de aventura destes Geocachers, acredito que num futuro próximo existirá uma Expedição mais radical, com Escalada da Crista com inicio pela Linha do Comboio.
    É realmente espantosa a sensação de Liberdade que se consegue nestas caches do GreenShades. Sinceramente, teria passado ali o resto do dia, com o piquenique e tudo!

    Depois do El Buraco, o Almoço não poderia ter sido mais divertido. A partilha dos comes-e-bebes proporcionou um convivio excelente, apesar de recearmos La Guarda Civil que nos poderia enchutar dali por distúrbios… mas ela passou e não disse nada.
    Claro… o café é que não podia ser ali,  os nossos amigos espanhois sabem lá tirar Simbalinos!
    Vamos a Castelo de Vide, para o belo do café. E que lindo e agradável está Castelo de Vide. Bom trabalho colegas da CMCV!

    Os Monumentos Megalíticos proporcionaram-nos realmente um belo passeio a disfrutar da verde paisagem de e bela tarde de "Primavera".
    As gulosas corridas a cada uma das quatro caches eram de partir o côco a rir… as antas… quais antas??
    Mas o maior menir da península bateu definitivamente o Chouriço do PH! (uups)

    E pronto a Expedição terminou aqui! E diziam todos: "Adeus, foi um prazer, até à próxima, estamos com pressa, vamos mas é para casa!"

    E nós: "Não… espera! E que tal um piquenique em Constança, para acabar com a carne assada e o presunto? Temos que passar por lá e aproveitamos e visitamos o Camões."
    "OLHA!!!! Afinal a expedição passou por aqui… aqueles lambões! Tanta pressa e afinal… Bem que podiam ter deixado mais umas fatias de Chifon"

    Que grande dia.

  • 17 danieloliveira // Feb 12, 2006 at 19:15

    A receita dos pãezinhos será aqui inserida  o mais rápido possível. Ainda não foi porque a "pasteleira" não lembra de cór de são uma ou duas colheres de pó Royal!:)

    Entretanto, quero deixar aqui o meu agradecimento a todos pela excelente companhia e uma bela cachada. Também ao Paulo por se ter lembrado de organizar esta expedição.

  • 18 MAntunes // Feb 12, 2006 at 21:32

    Então e a conversa do "nhã, nhã, nhã, aã! ã! aã, ãh?" sobre a última "marada" do Diamantino, junto ao menir que envergonhou o chouriço do PH?

    Ninguém conta? Olhem que eu conto mas ficam a perder porque hà quem tenha mais jeito para isto do que eu!

     

  • 19 Walcarr // Feb 12, 2006 at 21:45

    …foram tantas e tão poucas que eu já fiquei a saber onde estava o container final,foi’só picar aqui ,picar ali,picar acolá …mas conta Mantunes grin]

  • 20 btrodrigues // Feb 13, 2006 at 00:45

    A chegada ao 3º ponto da cache "Monumentos Megalíticos" foi feita já com um bichinho a roer o estômago.

    Como já era hábito, foram tiradas algumas fotografias ao Menir da Meada visto de longe, incluíndo à zona onde estava a cache. Metade das pessoas foi direita ao menir, inspirada pelo símbolo da virilidade, fazer alguma reza ou sacrifício, sabe-se lá. Metade ficou-se pela área da cache, que eu desavergonhadamente retirei do sítio. Alguém tinha que sujar as mãos. Feitos os logs, alguém (que não me denuncio) sugeriu pelo PMR que se acabasse já ali com o Chifon de chocolate, já que havia mesas para o piquenique. Talvez tenha sido devido a este pequeno pormenor que não se tenha feito a foto do grupo junto ao imponente (potente) monumento. O meu "in" nesta cache foi uma bola de golfe, atirada de longe para a área da cache. Para que conste. Não foi um hole in one, mas ficou a intenção.

    Pegámos no canivete com o que o Olharapo tinha estado a palitar os dentes e cortámos as últimas fatias do Chifon de chocolate. E enquanto o Cláudio se maravilhava com o sonoro "shruaaaa" que o chifon fazia ao partir-se aos bocados, falou-se da "4 elements". O pessoal do Norte dizia que era injusto, porque não conheciam Lisboa tão bem como alguns dos que já lhe tinham deitado as mãos (ou planeavam). E a conversa começou assim:

    Daniel: então porque é que demoraste tanto tempo?
    Bruno: porque fui ao mnuahahaha e não vi aquilo lá escarrapachado. e estava em dois sítios.
    Daniel: ah pois, mas o PH foi lá e deu com isso, mas não deu com ela no mnhuahahahah
    Bruno: pois, fui lá com o rasa e também não vimos.
    Raul: ai e tal…
    Bruno: ai e tal não. porque foste ao mnhauauauauau e ao mnhuaauuaua uan nha e não viste nada e estavam lá as duas.

    🙂

  • 21 Rechena // Feb 13, 2006 at 10:18

    gostava de dizer que a expediçao foi excelente e mal posso esperar pela proxima…
    as caçada ja foram todas descritas promenorizadamente, mas o que eu me lembro melhor é do promenor de um certo TB que por ai anda 😉 nao é PH hehehe…
    deixo esta para o daniel contar…

  • 22 ricardorsilva // Feb 13, 2006 at 10:37

    O que é que andaram a fazer ao patinho?

    Lynx Pardinus

  • 23 almeidara // Feb 13, 2006 at 19:05

    Foi muito bom! Para mim, a segunda cachada em grupo (espero que mais ninguem que não sabe o que é o geocaching leia isto :)), depois do Six Feet Under.
    Desta vez custou mais porque não me lembro da ultima vez que me levantei às 5:00 da manhã. Durante o dia todo de hoje ainda estão de ressaca :(. Bom mas lá deu para uma corrida desenfreada pelas ruas de Lisboa…
    A historia jé foi contada muitas vezes por isso deixo aos que têm o dom da palavra a sua descrição (hummmm, até saiu bem).
    Foi bom conhecer mais doentes de outras regiões. Falamos um pouco sobre curas de desintoxicação mas mal eu viro costas lá vão os lambões à procura de mais outra…
    Bom, eu ainda dei um pulinho a Viseu e à terra do meu pai, Couto de Baixo (fixem este nome, pq talvez antes do verão ainda o vejam a aparecer num site perto de voces).
    Para finalizar, o almeirara, veio da Charneca da Caparica 🙂 ainda fica para lá do hiperespaço!
    Um abraço a todos, e até à proxima.

  • 24 danieloliveira // Feb 13, 2006 at 21:48

    ..dos PÃEZINHOS DE CHOURIÇO!

    É assim:
    1 ovo
    4 colheres de sopa de margarina
    1/2 chávena de leite
    2 chávenas de farinha
    1 colher de chá de fermento
    chouriço às rodelas q.b.

    Amassa-se tudo junto (menos o chouriço, claro!). Tendem-se uns pãezinhos com uma rodela de chouriço no meio que vão ao forno em tabuleiro untado.

    (Não percebi nada! Espero que voçês percembam mais disto do que eu. Mas esta é a receita.)

  • 25 vsergio // Feb 14, 2006 at 01:18

    Não interessa perceber, interessa é comê-los!

    Espero que para a próxima expedição não se lembrem todos de fazer paizinhos com o Chóriço, ou vai tudo ficar de dor de barriga!

  • 26 MAntunes // Feb 14, 2006 at 07:07

    "Por favor evitem colocar comentários enquanto o relato não estiver completo. Obrigado."

    …agora que já vamos na culinária…
    significa que "já chegámos a casa". 😉

    PH, já podes dar a palavra aos outros?

  • 27 bargao_henriques // Feb 14, 2006 at 07:48

    É que é já!!

  • 28 danieloliveira // Feb 14, 2006 at 09:11

    Excerto de uma conversa ocorrida a caminho de Constância depois de um dia cheio de caches:
    (tenho que lembrar que como fomos todos em grupo, os tb´s andaram a saltar de uns para os outros sem "registo" oficial. Esta conversa foi para acertar o itenerário do TB webby entre eu, o Cláudio, o Rechena e o PH).

    O PH tinha-o apanhado na cache "El buraco" e é aí que as coisas começam.

    Daniel: Vamos lá recapitular! O Paulo apanhou no buraco….
    Rechena: Montes de risota acompanhado igualmente pelo Cláudio….
    PH: …..%$&#€….
    Daniel: Ok, ok…calma aí. O Paulo apanhou no el buraco, põe no monumentos megalíticos. Rechena apanha nos monumentos megalíticos e põe nos megalithic monuments. Cláudio apanha nos megalithic monuments e põe no Camões. Daniel apanha no Camões….

    (vêm? Conversa inofensiva e construtiva. O Webby encontra-se agaora em Lisboa e deve ir parar a uma das novas caches)  

  • 29 bargao_henriques // Feb 14, 2006 at 22:00

    Grrr… Nem comento…

    Coisas mais alegres, recebi um mail do Indy4x4, que transcrevo:

    "Muitas graças a todos por realizar meu cache. A verdade é que me fez muita
    ilusion vossa visita. Me alegro que lhes gostasse o lugar. Daqui a pouco tenho
    pensado colocar outro perto de Elvas, na Espanha.
    Muito obrigado por tudo. Cumprimentos. Luis"

  • 30 mca // Feb 14, 2006 at 22:14

    #$"#%"#%
    "#%"#%"%
    MAS QUE IMBEJA CARAGO! MAS QUE PENA NÃO TER PODIDO IR…….

    Pronto já desabafei. Um bom dia para todos!

  • 31 MAntunes // Feb 15, 2006 at 07:21

    Foi a primeira grande expedição em que o MCA não nos acompanhou… 🙁

    Vê lá se podes ir à próxima. E leva a Vanessa. 🙂

  • 32 pascoa // Feb 15, 2006 at 15:13

    Parece que a próxima expedição tem de ser familiar, para acalmar as hostes.

  • 33 vsergio // Feb 15, 2006 at 22:33

    as gajas!

    Para a próxima as gajas não perdoam, até para acabar com essas conversas de "apanhas aqui e eu apanho ali"

    depravados. no nosso carro não se falou nada dessas coisas. a Sarita estava no controlo.

    MCA, de certeza que não foste?
    Tirei esta foto e desconfio que andavas por lá à sucapa…
    http://img446.imageshack.us/img446/5945/dsc008368lo.jpg

  • 34 mca // Feb 15, 2006 at 23:06

    eheheh tu queres ver que me apanharam??? isso parece o cachemobile do MCA…. ah espera, são primos…..

    De facto este ano vou ter que gerir muito bem as coisas, pois comecei em Janeiro uma pós-graduação que me leva noites, Sábados e afins com aulas, trabalhos, estudos, exames, apresentações e sabe-se lá que mais….

    Mas vamos ver se vos acompanho em alguma expedição! Vontade não falta…. Quanto a esta, palavras para quê, fiquei ROIDINHO DE INVEJA…… e o meu cachemobile também!

  • 35 clcortez // Feb 21, 2006 at 02:44

    Já quase tudo foi dito mas ainda vou a tempo de deixar aqui o meu review.

    Reforço o que disse o RicardoRSilva ( até porque fiz grande parte da viagem com ele ) sobre a rádio Portalegre e o Miguel. Pura exploração infantil. A voz do Miguel ecoou nos vossos PMR´s assim como a música que cada carrou ouvia por várias vezes, à falta de melhor ( e às veses é mesmo melhor a música 🙂 ) lá se usavam as ondas hertzianas para difundir os gostos musicais de cada um.
    O que o Ricardo não referiu foi a oferta de dois almoços no restaurante Imprevisto, em Portalegre, que o coitado do Miguel não se cansou de anunciar! Eu e o Ricardo estivémos mesmo para participar e ir almoçar ao Imprevisto mas já sabíamos de ante mão que o PH ia disponibilizar o seu chouriço depois de irmos todos ao Buraco!…:)

    Uma expedição quse perfeita não fosse o pequeno acidente no poste que foi contra o carro do Ricardo..tirando isso tudo esteve excelente e penso que já todos pensam na próxima expedição, onde será e quando será, são as perguntas que se impôem! 🙂

    Obrigado a todos pela companhioa, boa disposição e ajuda no que foi necessário!:)

    Ah, e as jolas?? Não falaram das jolas! tanta coisa, tanta coisa e…as jolas fresquinhas? Ah pois é! E para a próxima vamos todos querer repetir aquele momento especial que foi o almoço!:)

  • 36 vsergio // Feb 23, 2006 at 00:08

    Gostei da Mine! A mine e a Sande! Soberbo!
    Muitas Jolas boas e fresquinhas.
    Aquele frigorífico é um espectáculo. Foi muito bem lembrado e é uma óptima ideia, a manter na próxima Expedição.

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.223 seconds.