Geocaching na City

SUp3rFM - 2007/01/09

Sempre que agora se escolhe um destino, uma das coisas a ver são as caches no local. Esta ida a Londres foi essencialmente para ver e conhecer a cidade e celebrar o novo ano. Mas, voltando às caches, passámos os olhos pelo Google Earth e fomos esmagado pela quantidade de icons que saltam por toda a cidade. O segundo passo, foi tirar uma pocket query com 10km de raio a partir do nosso hotel. O resultado foi redondo: 300 caches activas e disponíveis. E agora? Como planear isto numa viagem de 6 dias? Que se lixe! Não há plano nenhum. Em cada paragem, em cada monumento, logo se liga o GPS e o PDA e toma-se a decisão de ir atrás delas. Assim foi (pelo menos, quase sempre).

Dado o grau de maturidade do Geocaching em Inglaterra, há alguns factos que nos saltaram à vista, tendo em conta a nossa curta experiência:
– Existem muitas virtuais colocadas em sítios chave da cidade (Algumas delas derivaram do desaparecimento de caches físicas há muitos anos colocadas);
– Uma população acima do que estamos habituados em locais amplos, como parques e jardins;
– Muitas multi-caches tendo por base sítios turísticos da cidade;
– A versatilidade dos containers adequados às localizações (Micros de 35mm, nanos e outros).

Para começar, assim que chegámos a Paddington Station tínhamos uma virtual para fazer, ainda com as malas na mão.
Parecia começar bem e dado que o nosso Hotel era bem perto de Hyde Park, tínhamos uma vista sobre 10 caches à mão de semear!

Ainda nessa noite, depois de um passeio por Oxford Street foi hora de quase tropeçar em mais 2 micro-caches magnéticas, uma webcam cache e outra virtual, que se atravessaram no nosso caminho. Tudo em caminho. Mais uma vez, e tal como nos tinha acontecido noutros locais, as voltas dadas para fazer algumas caches levam-nos a sítios únicos, neste caso, o Soho.

Nos dias seguintes e ao passear pela cidade, quer a pé, quer através dos tours dos autocarros turísticos amealhámos mais umas caches físicas e virtuais que ficavam nas nossas rotas. De destacar, o fantástico Regent Park com algumas caches bem engraçadas, entre as quais, a nossa preferida: Cara´s College Cache:

Bem perto da cache…

O container, com o pormenor de estar rotulado como se fosse um projecto de uma escola.
Será uma alternativa aos "tradicionais" rótulos que deixamos?

A par do TB Hotel, esta cache foi das maiores que encontrámos. Gostámos particularmente da ideia de rotular a cache como se fosse um projecto de estudantes (não é, confirmámos com o owner). Eventualmente, será esse, para além do esconderijo escolhido, um dos truques para a sua longevidade?

É ainda no Regent Park que está o TB Hotel londrino, uma Letterbox Hybrid cache. O nosso espanto não foi em encontrar tal caixote, mas sim em como é que algo daquele tamanho, escondido da forma como encontrámos, permanece no local durante tanto tempo… Ainda bem. 😀

Para além destas duas excepções, quase tudo o que encontrámos está agarrado ao metal (não aos Black Sabbath!), mas de forma magnética. Ficam alguns exemplos:

Nano cache magnética (brilhante!)

Tubo de análises (?)

A tarefa mais difícil não é encontrar o container, mas sim retirar o logbook lá de dentro!

Caixa de pastilhas magnética

Este tipo de container é usado por este owner em algumas caches. Curioso este "desenrascanço", não?

Em relação às virtuais, que abundam um pouco por toda a cidade, tivémos a oportunidade de fazer algumas que nos tinham indicado (obrigado MAntunes!), nomeadamente três caches da série Sherlock Holmes. As da série Jack The Ripper ficarão para uma próxima ida… Ainda em relação a este tipo de caches, existem várias virtuais que são na realidade multi-virtuais, sempre com o objectivo de dar a conhecer Londres e alguns dos seus recantos menos conhecidos.

Mas, nem tudo foi 100% de sucesso. Houve alguns Not Founds, uns naturalmente por azelhi… perdão! Por causa do GPS… E outras porque o container tinha efectivamente desaparecido do local. Os DNF foram logados nesta nossa bookmark list. De qualquer modo, e apesar de termos falhado estas sete caches, a visita aos seus locais foi sempre positiva!

Em suma, foi uma excelente viagem. Gostámos de tudo, geocaching inclusive! Aconselhamos, naturalmente, uma visita à City para a conhecerem e encontrarem mais umas caches!

6 responses so far ↓

  • 1 MAntunes // Jan 9, 2007 at 16:37

    Parece que ficaram perto do local onde estive. Eu fiquei no Kensigton Hotel, perto de High Street Kensigton Station que se vê no mapa mostrado acima. Foi antes em 2000, antes do geocaching ter nascido senão tinha sido uma estadia melhor para mim; o que nós não gostámos (fui com a Mila e o Filipe) foi de ter os grandes espaços (Harrowds, etc…) fechados a partir das 18h00. Como eu estava a trabalhar durante o dia não deu para visitar nada. Então a "melhor" experiência que tive foi ter-me perdido no Hide Park à noite. Também foi agradável a empregada de mesa, do Hotel, começar a falar português conosco quando se apercebeu que éramos portugas. 🙂 No único dia completamente livre que tive, passámo-lo a passear nos autocarros turísticos para conhecer um pouco a cidade.

  • 2 ricardorsilva // Jan 9, 2007 at 17:34

    Uma das questões mais curiosas ao fazer geocaching em Londres é a absoluta indiferença dos passantes nos tais parques super-povoados. Sim, eles podem estar cheios de gente a passar, mas ninguém se digna olhar 1 segundo que seja para aquele tipo que está a apertar o sapato há 2 minutos enquanto apalpa um banco de jardim de alto a baixo!

    Claro que também pode ser porque são 7h30 da manhã…

    Mas, sem a mais pequena dúvida que a cidade é um paraíso para as micro!

    Lynx Pardinus

  • 3 bargao_henriques // Jan 10, 2007 at 00:21

    Que inveja, que inveja!!!
    Adorei o artigo! 😉

  • 4 vsergio // Jan 10, 2007 at 11:58

    Tb já lá tivémos e o meio de transporte para conhecer foi tb os autocarros turisticos onde se pode descer e subir onde se quiser ao longo do percurso. Mas na altura nem sabia o que era GPS nem nada.
    O local onde fiquei… deixem-me ver… ahhh, já sei, foi na Estação de Comboios qualquer…

  • 5 prodrive // Jan 12, 2007 at 15:02

    Espero sinceramente que se tenham divertido. Já estivémos várias vezes em Londres (creio que 4), todas elas numa fase pré-Geocaching, a última das quais em Outubro de 2005, precisamente no Hotel Hyde Park (que não recomendo!).
    Conhecendo bem a cidade, e a quantidade de agradáveis kilómetros a pé que ela proporciona, imagino que seja um paraíso para os Geocachers. Hyde Park é um autêntico privilégio no centro da cidade, e apesar de tudo permite uma busca bem discreta. Ninguém quer saber o que cada um faz. Já junto às saídas de metro presumo que seja mais dificíl alguém passar desprecebido com a paranóia com que andam devido aos atentados terroristas.
    Não temos nenhuma viagem agendada para Londres, mas quando lá formos, o GPS será o nosso amigo íntimo.
    Hoje mesmo regressámos de Frankfurt, duma viagem de trabalho, onde encontrámos 4 das 8355 caches que havia num raio de 100 milhas do nosso hotel, mesmo no centro da cidade.
    Ao contrário de Londres, Frankfurt é uma cidade muito cinzenta, e nesta altura do ano, os parques e jardins encontram-se despidos de vegetação e de visitantes, num cenário bastante melancólico (há quem goste…). Felizmente que não nevava o que ainda deu para umas caçadas nocturnas.
    As caches que encontrámos estão em locais mesmo feios (é o que há) e sem grandes monumentos para mostrar ou histórias para contar (as poucas que há estão em alemão e sem tradução para inglês).
    A cache mais divertida foi a da estação central de combóios, por volta das 21.00 horas. Andávamos nós, 3 turistas de GPS na mão à volta do ponto 0, quando se aproximam 3 polícias em tom de gozo: "Eu sei do que vocês andam à procura, eheheh. Querem uma pista?". Meio estupefactos com tanta simpatia, disparámos: "OK, mostra-nos o que sabes". E lá nos mostraram o enconderijo, por acaso muitíssimo bem dissimulado.
    Pelos vistos não sabiam o que era o Geocaching, nem qual o propósito do jogo, mas sabiam que sempre que aparecia alguém com o GPS na mão era aquilo que procuravam. Mesmo desconhecendo o jogo, respeitaram-no. Se fosse em Portugal acho que primeiro ia tudo dentro, depois faziam as perguntas.

  • 6 MAntunes // Jan 12, 2007 at 19:24

    Epah… isso são boas notícias para mim que vou a Munique na próxima semana!

    Então, se tiver dificuldades ou estiver num parque à noite, sózinho, de GPS na mão, posso pedir ajuda ou escolta à polícia local?!  

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.121 seconds.