A minha primeira cache!

- 2004/01/25

Yupiii!

Finalmente tenho uma cache só minha!  🙂

Hoje saímos cedinho de casa, pelas 07H00 e rumámos ao centro do país. O meu motorista precisava de verificar umas caches dele e eu deixei-o. Sim, deixei-o porque o objectivo do dia era eu ir procurar a "minha cache" 😉  (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?guid=cc235638-c01a-4cdc-bb97-080ab0de22ba).

Então, passámos por Castelo de Bode para ele fazer a manutenção da IMC No 1 primária; substituir sacos, secar a cache (queria levar um secador de cabelo…) e acondicionar melhor o taparuére. Trabalho feito, enquanto eu cheirava por ali, e rumámos depois ao Centro Geodésico de Portugal para ele verificar esta outra cache dele. Sim, foi encontrada recentemente mas, mais recentemente ainda, alguém andou por ali a amolgar as pedras e não a encontrou. A cache estava lá no sítio e ele continua a ser  o único a não encontrar a outra "cache" que os soldados por ali clocaram em 1984… também… ele vai direitinho ao local da cache dele e não anda a dar pontapés nas outras pedras… que por sinal estavam bem amolgadas. :-))

Depois, seguimos mais para norte e ele, o meu motorista, ficou desnorteado com a Barragem do Cabril e não atinava com a estrada correcta para chegar a Amiosinho… "motorista de fim de semana"… Chegados à zona de Alvares, não seguiu o caminho para Amiosinho e continuou para norte, até perto do parque éolico onde está outra cache que já visitámos. Não se via nada. Tudo nevoeiro denso. Depois, virou para Amiosinho pelo local por onde o texto da cache aconselhava a sair… Foi bem feita! A certa altura, depara-se com um camião tão carregado de madeira, tão carregado que não conseguia subir a estrada estreita, sinuosa e molhada… tivemos que ir três kms atrás do camião (ou será à frente?) enquanto ele ia descendo em marcha atrás par regressar ao local onde tinha carregado a madeira, talvez para aliviar um pouco… Passado este "obstáculo", lá continuámos em direcção a Amiosinho e, como a  descrição sugere, perdêmo-nos  duas vezes: Numa delas até fomos dar de caras com um cemitério!

Mais uns quilómetros e ali estava a placa "Amiosinho"! O meu motorista começou o seu trabalho de fotógrafo para vocês poderem apreciar :-).

Antes de irmos à cache, "abancámos" a sul da povoação e comemos mais ou menos em estilo de pic-nic. Não havia tempo a perder. Eu queria era ir á minha "primeira" ;-).

Reconfortadas as barrigas, o meu motorista, colocou a mochila, cheia de ferramentas, às costas e fomos ao ataque (até é útil, este motorista… 😉 ).

No local da cache, começámos por apreciar a ribeira, as suas águas cristalinas (e saborosas…) e investigámos a zona balnear (uma autêntica piscina que deve ser muito agradável no Verão 🙂 ).

Depois e finalmente, fomos procurar a cache. Devo confessar que ela não estava tão "colaboradora" quanto o texto indicia. Andámos por ali mais de meia hora à procura dela. Mas, também, com aquele nevoeiro todo e humidade no ar é normal que o GPSr estivesse um pouco baralhado…

Enquanto o meu motorista (que também é operador de GPSr – mesmo útil este tipo!) andava a fazer macaquices pendurado nos galhos, os outros, sempre que mexiam numa pedra vinha a família dela toda por ali abaixo… Finalmente a cache lá apareceu e revelou-se "o problema": como é que vamos abrir esta "coisa"?. À dentada, pensei eu… Atira-se-lhe com um calhau de 20 kgs, sugeriu o meu motorista… Com as ferramentas que levávamos, decidimos todos em conjunto. Depois de algumas peripécias que não vos posso contar (estragaria a surpresa 😉 ) e que nos ocuparam durante meia hora, lá conseguimos abrir a cache. Surpresa! Apesar de dificílima de abrir, tinha água lá dentro e  o interior estava todo molhado… Como o meu motorista já tem alguma prática a fazer manutenção de caches, deixei-o tratar do assunto. A mim, só me interessava a minha prenda, assinar o "logbook" e tirar uma foto do momento "especial" :-).

Gostei muito da minha cache e da prenda (pelo menos durante umas semanas vou poder comer coisas de jeito com a minha prenda: Um cheque- prenda para o meu motorista comprar coisas para mim… e que  melhor "coisa" do que um saco de 10 kgs de ração saborosa e nutritiva? Vá, vá…  lambuzem-se lá todos mas nesta comidinha não pôem vocês os dentes! 😉

Feito o log, tiradas as fotos e trocadas as prendas foi hora de ir embora. Devo aqui dizer que as velhinhas da aldeia de Amiosinho foram muito simpáticas para mim! A princípio olharam desconfiadas para  o meu motorista mas, depois, quando me viram ficaram todas derretidas comigo  🙂

No final, saímos pelo sul, em direcção a Alvares e depois tomámos outra vez a N2 em direcção ao parque eólico onde fomos dar uma espreitadela para  os putos verem… não viram nada. O nevoeiro não deixou…

Depois… O costume: Uma grande soneca até casa, apenas com umas paradelas para uns xixis pelo caminho.

Adeus e uma lambidela amiga!  🙂

PS: Venham mais destas caches "Só para mim"  😉

4 responses so far ↓

  • 1 bargao_henriques // Jan 26, 2004 at 09:28

    BOA Snoopy!!!
    Finalmente fez-se justiça!

    Esse teu dono, finalmente, deciciu partilhar com os outros os louros das caches encontradas em família…

    Realmente já tinha pensado cá para mim: "Olha-me lá este Manel! Nunca vai às caches sozinho, mas depois os logs são sempre feitos em nome dele…"
    Sim, porque mesmo que refira que foi acompanhado, ou meta os nomes dos outros, a contabilização das caches só fica em nome de MAntunes…
    Sinceramente, acho que o devias convencer a criar um username de grupo, como o da minha família, e obrigá-lo a ir convosco repetir as caches todas! Eheheheh 🙂

    Bem, já que tiveste uma prenda nesta cache, posso informar-te que também já comprei uma para ti, mas que não deu para a meter na minha primeira cache. Agora vejo que a ideia não é original, mas isso pouco interessa.
    Fica descansado que, mais tarde ou mais cedo, ela vai parar-te às patas… Ou aos dentes…

    Um abraço,
    PH (em representação da família Bargão Henriques)

  • 2 DSAzevedo // Jan 26, 2004 at 10:42

    Bom dia Znupi!

    Então gostaste do passeio?
    Agora não digas nada a ninguem, senão um dia destes toda a gente vai a correr comprar um cachorro narigudo e começa a pedinchar mais caches á medida.

    ps: A & Company, a minha co-equipa, manda dizer que não aceita mais cravanços…

  • 3 Snoopy // Jan 26, 2004 at 18:31

    …essa do "cachorro narigudo" é comigo?!

    Por outro lado… Ena tanta prendas para mim!  🙂 Acham que deva fazer assim uma espécie de "Lista de Casamento"?  😉

  • 4 DSAzevedo // Jan 27, 2004 at 13:30

    A partir de agora vou passar a embrulhar as caches com arame farpado. Sempre quero ver se te vais continuar a sentar em cima delas. Só podes bisbilhotar nas tuas. Nas outras és o jornalista de serviço, sempre escreves
    melhor que o teu dono. E refila com ele, para por na tua conta as caches que foste tu encontraste.

    PS:Listas de casamento? O teu dono tem que te levar á rua mais vezes…

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 34 queries in 0.201 seconds.