Entries from July 2003

Andando por aí…

MAntunes - 2003/07/29

Nas últimas semanas estive de férias e, além dos "programas" próprios da ocasião, fui arranjando tempo para intercalar alguma (bastante )actividade neste no Geocaching;

– Coloquei a "The (imprisioned) Squirrel" (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=78318) em Monsanto, após ter obtido autorização e depois de ter que alterar as características da mesma porque o Geocaching.com já não permite caches sem localização fixa. Ficou um cache multi-nivel com o objectivo de levar o pessoal a passear pelo interior da Serra de Monsanto e a conecê-la melhor, de preferência de bicicleta mas pode ser feita a caminhar. Pelo caminho e se se fôr suficientemente discreto, pode ver-se alguns animais entre os quais esquilos e coelhos.

– Coloquei a "Vale das Buracas" (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=79277) na Serra do Sicó num vale de formações geológicas muito curiosas onde a natureza cavou enormes buracos em formações de calcário. Lugar bastante interessante e até lá tem paredes que se prestam à prática da escalada. Toda a Serra do Sicó é um local agradável de se visitar. "Encontrei" este local através da internet, algures em Fevereiro quando andava a procurar informação sobre os Campos de Lapiás e, quando dei com este local, decidi logo que tentaria lá colocar uma cache, se ninguém se antecipasse. Assim aconteceu e resultou numa cache de que me sinto satisfeito mesmo que seja pouco visitada – tem a minha "marca" .

– No mesmo dia, para o regresso, já ia preparado para visitar a "The Convent of Storks" (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=22438) porque ficava a pouco menos de 30 kms para oeste. Interessante local, num vale muito aprazível. Consegui ver as cegonhas mas não entrei no Convento porque parece que o interior vai ruir todo de um momento para o outro…
No logbook só ficou uma página disponível (já vi que foi lá outro Geocacher e, talvez por causa do meu log, levou mais páginas para o logbook )

– Noutro dia, fui às caches do Ricardo Silva, em Alcochete ( http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=72791 e http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=74299 ) mas essas aventuras já relatei noutro artigo. No entanto, voltei lá mais tarde para fazer o percurso de bicicleta, conforme o Ricardo sugeria. Fiquei impressionado com o trabalhão que ele teve e não podia desperdiçá-lo – até tinha comprado (finalmente!) uma bicicleta para mim, para estrear naquela cache…

– Logo no dia seguinte, fui colocar a "MAntune´s Book Box" (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=79642). Uma cache cheia de livros (uma ideia que vi "lá fora"), colocada num local perto de Lisboa mas bastante agradável e que até faz parte dos percursos pedestres sugeridos no Livro "Portugal Pé-ante-Pé", no qual eu me inspirei para  escolher o percurso. Tem uma gruta onde foram encontrados vestígios da época de Neanderthal, um vulcão adormecido  e um sanatório inacabado e, toda a região tem alguns locais aprazíveis para um passeio de meio-dia. A cache está num local difícil de se chegar mas eu tinha que a colocar num sítio assim porque a caixa é grande e o valor que lá está dentro é enorme (investi muito nesta cache). Por isso não me podia arriscar a que ela fosse encontrada por acaso. Mas penso que quem lá fôr, gostará do desafio que ela proporciona

– No fim de semana seguinte, viajei até a Beira Baixa (região da minha família materna) e passei pela "Far away, so close" (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=62728) nas Portas do Ródão. É um dos locais que fazem parte do meu imaginário de criança porque passava por lá diversas vezes ao ano quando viajava de comboio entre Lisboa e Castelo Novo – O outro era o Castelo de Almourol. Gostei da sensação de estar naquele rochedo mesmo por cima da linha do comboio a ver a outra margem do Rio Tejo ali tão perto mas tão longe (vi várias águias voando por ali e, com os binóculos, descortinei alguns locais onde parecem estar os respectivos ninhos).

– No dia seguinte, coloquei a "Historical Village – Castelo Novo" (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=81285) que, como o nome indica, se justifica por esta aldeia ser umas das 10 aldeias históricas de Portugal – Uma aldeia que pelas suas características e cuidado na conservação, ainda faz lembrar as aldeias típicas do início do século XX. Juntei informação tanto sobre a aldeia como sobre a Serra da Gardunha. Desta aldeia é originária a "Água do Alardo" assim chamada porque a principal nascente está nos terrenos da Quinta do Alardo um propriedade que foi de famílias da Casa Real de Portugal. Hesitei bastante em colocar esta cache por ser na aldeia da minha família mas tentei analisar friamente as características da aldeia e do propósito da cache e penso que decidi bem. Só o tempo o dirá: a "Lei da oferta e da procura"

– No regresso a Lisboa, passei pela minha cache no Centro Geodésico de Portugal (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=42700) para a verificar – tinha havido dois logs "not found" mas, e como se pode lá ler, ambos foram feitos por não haver muito tempo para procurar e/ou debaixo de chuva. No entanto, e como havia notícias de fogos naquela região, decidi fazer um desvio de 60kms (entre a IP6 e a Milriça) e ir verificá-la. A cache está lá. Deixei um selo dos correios para "assinalar" a minha presença e obtive um horário do Museu de Geodesia que digitalizei e coloquei na página da cache. Neste dia, ainda os bombeiros estavam em operações no local (tinham lá várias viaturas) e a presença deles, da polícia, dos militares e das televisões era bem forte ali naquele morro. E eu a verificar a cache "mesmo debaixo das barbas deles" Se se lembrassem de indagar o que eu andava a fazer… Mas tudo correu bem! Cache verificada, missão cumprida!

– Logo no dia seguinte (não hà dúvida… eu não paro!) "fiz" a "Octagon Buildings" no Parque da Pena – Sintra (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=43592 Graças a ela, fiquei a conhecer bastante melhor este Parque. Por isso não me arrependo!) e a "Lonely Lookout" do Greenshades (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=81251). Esta cache foi uma surpresa para mim (não sabia da existencia daquelas ruínas de um antigo forte e por isso até fiz algumas investigações na internet, antes de ir). Gostei muito do passeio mas, por ter abordado erradamente a cache, fui por um percurso mais difícil do que o previsto para a cache. Para não vos estragar a surpresa, não dou mais detalhes (a escolha da abordagem é importante nesta cache). Mas aconselho quem puder andar um pouco a ir lá. Vale a pena. Do local da cache tem-se belas vistas para o Cabo da Roca e para a Praia do Guincho, além do mar "of course!"

– Nos dias seguintes, aproveitando o regresso da Praia da Figueirinha, verifiquei e fiz manutenção (melhorei-as acho eu…) as caches; "Cave of Santa Margarida" (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=41295) e "Tale of Pedra da Mua" (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=41325). Ambas têm agora documentação sobre o temas das mesmas (enviei cópia dessa doc. aos que já a tinham procurado) e normalizei o layout das respectivas páginas.

– Quando eu pensava que podia "descansar do Geocaching" também , aparece o Paulo Mateus com a "The Palace" (http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?ID=81525). Estando de férias, e localizando-se esa cache, mais ou menos entre a Praia da Figueirinha e a minha casa… não podia desperdiçar esta oportunidade! Planeei-a para o mesmo dia em que verifiquei a do Cabo Espichel e… foi um erro ! Cheguei ao local pelas 19H30. Coleccionei os dados necessários para compôr as coordenadas do waypoint 2 e… eram horas de jantar. Comemos numa cervejaria por ali e depois tentei encontrá-la… Mas de noite… Definitivamente, tenho que me deixar disso…. não dá! Eu tinha lanterna mas nem assim.
Voltei lá uns dias depois e foi fácil encontrar o que era necessário encontrar e prosseguir a "caçada". Gostei muito desta cache por me permitir ficar a conhecer a povoação, o seu parque muito bem tratado e a dôr de cabeça a que o Paulo me submeteu para descodificar as coordenadas! Parecia  que tinha voltado aos "pontos" de Matemática!!! Esta cache é óptima para se fazer de bicicleta entre as coordenadas fornecidas, o waypoint 2 e o local final da cache. Eu não o sabia, senão tinha levado a  bicicleta quando lá voltei a 2ª vez. Recomendo sinceramente esta cache.

E prontos! Entre praia, passeios, piscinas, bricolage em casa (tenho tudo em dia! ) e geocahing. lá se foram as férias


Pelas caches do Ricardo…

MAntunes - 2003/07/12

Ontem, foi o dia das caches do Ricardo BORDEIRA Silva .

Convidei o Pedro Polme a ir comigo, para espairecer um pouco do desgosto em que anda mergulhado e, lá fomos mais o meu filho Filipe e o cão dele, "Snoopy" (vocês já estão fartos de saber o nome do cão! Porque é que eu continuo a dizer o nome dele!!!????).

Começámos pela "Enjoy Alcochete" mas, apesar de eu ter comprado um bicicleta para estrear nesta cache, não levámos as bicilcetas porque o Pedro não conseguiu arranjar uma para ele e, para mim, era mais importante propiciar-lhe este dia de Geocaching do que ir de bicicleta – talvez lá volte um destes dias…

A cache por onde comçámos teve alguns momentos de boa disposição conforme íamo resolvendo/descobrindo as coordenadas para o próximo nível…
Descobertas as coordenadas da cache  final, aproximamo-nos do local mas fizemos uma pausa para almoçar e visitar alguns locais interessantes. Depois, lá fomos ao ataque final e, a 200 metros da cache, eu fiquei à espera que o Pedro a fosse procurar, esconder e regrssasse novamente. Depois fui eu descobri-la. Gostei de ver lá a "Ammo-box" que foi a "taça" do jogo do 2º. Encontro e coloquei-lhe um boné com o logotipo do Geocaching em Portugal.

Depois, fomos procurar a "Ermida…da Ussa". Aqui, gostámos bastante mais do local! E hà mesmo vacas por todo o lado… e pretas! Era verem-nos a andar e a olhar para todo o lado tentando descortinar um "peso pesado" lançado em correria na nossa direcção… Medricas que nós somos… Bom, só agora é que digo isto 😉
Como não podia deixar de ser, abordámos o local da cache pelo lado errado e a certa altura, estava uma vedação, uma vaca preta e a lagoa entre nõs e a cache! Tivemos que voltar para trás para tentar outra estrada e mais umas "não sei quantas" cancelas. Depois, ficámos com o carro atolado na estrada onde a areia era mais fina e abundante e foi um pouco difícil sair de lá…

Perto da cache, passámos por uma vaca que estava mesmo a 3/4 metros escondida atrás de uns arbustos… parecia que estava a fazer uma emboscada… ou estaria apenas a proteger-se do sol escalante?

Chegados ao local da cache (Espectacular! Muito bem escolhido para colocar uma cache, Ricardo), trocámos de vez e fui eu primeiro procurá-la (tem lá um elemento que me agradou muito… mas não posso revelar "spoilers"). Enquanto estava a abrir a cache, recebo um Sms do Ricardo a dizer que estava no Bar Lupi à nossa espera para conversar um pouco conosco :-).

Resta-me acrescentar que esta cache da "Ermida …da Ussa" me parece um excelente oportunidade para dar uma boa volta de bicicleta entre o Bar Lupi e a cache e voltar (Não levar roupas ou bicicletas vermelhas 😉 e levar água, chapéu e protector solar – é tudo estradas sem de terra/areia muito boas para dar umas pedaladas sem receio do trânsito automóvel …só hà as vacas…

Obrigado Ricardo, pelos bons momentos que nos propiciaste! 🙂



Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 32 queries in 0.520 seconds.