Mais um dia na vida de um geocacher…

Bargao_Henriques - 2004/09/21

Este Sábado, a exemplo de muitos outros, lá fiquei eu novamente a tomar conta do Tomás enquanto a mãe foi para as aulas.

Como o tempo estava bonito e não me apetecia ficar fechado em casa lembrei-me que podiamos ir caçar umas caches, a caminho de uma churrascada de família, em Ribamar.

Assim, e no seguimento de uma conversa que tinha tido na 6ª, com o portelada, achei que era a altura certa para visitar a The Lonely Lookout
. Já explico melhor porquê.

De caminho para a zona da Roca passámos pelo Estoril e, aproveitando para o Tomás esticar as pernas, fomos à procura da Costa do Sol.

É uma cache engraçada, bem escondida (Estou a aprender umas coisas sobre esconder micros… ), num local porreiro para o Tomás passear e poder esfregar-se todo pelo chão… Eheheheh

Obrigado pela cache, Portelada!

Aconselho a todos o restaurante chinês que há ali ao pé porque deve ser o único restaurante em Portugal que serve verdadeira comida chinesa. Pena ser tão caro…

Bem, seguindo viagem, lá fomos nós em direcção à Azóia. Como tinha feito os trabalhos de casa, começámos logo a aproximação pelo caminho marcado na Carta Militar.

Pelo caminho, quando comecei a achar que o caminho já era muito marado para o CacheMobile, um habitante da zona disse-me que era melhor ir para trás, e seguir por outro caminho… Ok, ele é que conhece isto… Vamos lá!

Realmente conseguimos chegar mais perto da cache que pelo outro acesso, mas ficámos com um desnível superior para vencer…

Mas a vista é LINDA!!! O local parece perdido no tempo, abandonado pela propria natureza…

Por falar em natureza… A razão que acelerou a minha vinda a esta cache, há já muito debaixo de olho, foi o facto de o Portelada lá ter estado a fazer uma reportagem sobre uma acção de irradicação de chorões, uma planta conhecida de todos mas que se comporta como uma praga. Aparentemente, o Parque vai fazer daquela zona uma área (mais) protegida, para a preservação de uma outra espécie de planta, rara, que é endémica da região. BOA!

Mas comecei a pensar cá com os meus botões que, eventualmente, poderá também ser restringido o acesso ao local… E como não queria correr o risco de não poder visitar esta cache, resolvi aproveitar a oportunidade.

Apesar de o carreiro ser bastante pedregoso, a descida até ao Forte não se mostrou difícil.

As poucas ruinas que sobram do forte não têm muito interesse por si só, mas em conjunto com o local, a vista, o vento… WOW!!! Que local LINDO!!!

Foi pena não ter levado a carta geológica, porque aquela zona é um autentico “granel geológico”! Ele é sienitos, granitos, mafraítos, filões, encraves de calcários, etc… ok, desculpem o devaneio…

Por toda aquela zona pudemos ver montinhos de chorões que tinham sido recentemente arrancados, desde a zona do estacionamento até ao forte. FORA!!!

A cache não foi muito difícil de encontrar, mas tive de recorrer às ajudas, porque o Tomás já estava a ficar impaciente porque acabou por não sair da mochila de transporte, por causa do risco de o deixar sozinho à solta enquanto me ocupava da cache. Mas quando vou o peixe Nemo que lá estava, ficou logo todo satisfeito e não se queixou mais!

Bem, depois da visita só faltava mesmo o caminho de volta… E isso é que foi pior… É que o Tomás já não pesa propriamente o mesmo que quando nasceu e, se somarmos também o meu peso ao conjunto, tive de suar bem para trepar até ao carro.

Mas garanto que VALEU INTEIRAMENTE O ESFORÇO!

Muito obrigado GeenShades por nos terem levado a um local assim!

O resto da manhã foi mais fácil, a comer um belo churrasco com parte da minha família, lá em Ribamar…

À tarde fui fazer uma visita de manutenção à A View To The West, enquanto fazia a apresentação do geocaching ao meu sobrinho mais velho, o David.

Foi ele que nos guiou até à zona da cache e também o primeiro a procurar a cache. A coisa não estava lá muito fácil pelo que resolvi dar uma ajudinha…

Vergonha das vergonhas… Não consegui encontrar a minha própria cache…

Bem, até a acabava por encontrar, mas ele encontrou primeiro… É que aquilo está realmente diferente desde a altura em que a escondi…

O rapaz ficou todo contente, especialmente com as prendas, e lá fez o primeiro log da sua vida, inteiramente merecido!

E assim se passou mais na vida deste geocacher…

5 responses so far ↓

  • 1 MAntunes // Sep 22, 2004 at 01:38

    Esta agora… já não se pode chorar?…

  • 2 portelada // Sep 22, 2004 at 02:00

    que vergonha … e depois andas para ai a repor caches !!!!  andas é a perdelas !!!

  • 3 bargao_henriques // Sep 22, 2004 at 10:13

    Mas olha que esta não esteve perdida…
    Demorou foi um bocadinho a encontrar! 😉

  • 4 portelada // Sep 26, 2004 at 00:36

    Bem !!  a ideia dos "verdes" é vedar aquela zona e torná-la inacessivel ao comum mortal , ora enquanto fazia a entrevista (e como representante da TVI) opus-me vientemente a esse projecto … ora , tanta ribanceira para plantar a tal plantinha e vão escolher logo a única com acesso pedonal a uma das melhores vistas da serra de sintra ????  cá para mim aquilo é mais um interesse imobiliário !!!
    Enfim , o que vale é que estamos em Portugal e ista para passar de projecto á vida real ainda vão uns anos !!! e depois, como aquilo vai ficar a tapar a passagem aos pescadores , não vai durar muito tempo !!!

  • 5 2 Cotas // Oct 1, 2004 at 18:30

    Chorões não são os tipos que não dão com as caches?

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.274 seconds.