O buraco sem fundo…

- 2004/10/06

Olá a todos!

Agora que consegui finalmente que o meu papá me metesse na cama, já posso escrever a história do passeio de ontem, em paz…

Como estava a ficar farto de estar em casa a aturar o meu papá, decidi pedir-lhe para irmos com o MAntunes, o filhote Filipe e o meu primo David, à procura de uma cache nova, lá para as bandas da Praia da Adraga.

Dito e feito! Aproveitando o feriado, em que não tenho de ir para a escolinha da casa da avó, metêmo-nos ao caminho no popó novo do M. Que popó giro!

Depois de apanharmos o primo David, seguimos por muitas curvas, até à praia. Confesso que já estava um bocado farto e inpaciente!

Quando lá chegámos saltei a correr muito para a minha mochila de transporte, e lá vamos nós montanha acima!

Ainda não entendo porque é que o papá demurou tanto a subir… Eu sou tão levesinho…

Foi muito engraçado subir, e quando lá chegámos acima ainda foi melhor, com arbustos até às minhas orelhas!

Pouco depois chegámos às beira de uma falésia muuuuito alta, mas o meu papá não me deixou ver bem…

Mais uns metros e chegámos finalmente ao pé de um buraco muito grande e sem fundo! Era um bocadinho assustador, com o mar lá em baixo…

Enquanto o MAntunes e o meu amigo Filipe ficavam a conversar e tirar fotos, eu fui ensinar o papá e o primo David a procurar caches… Foi um instante! Menos de um minuto!!

Depois foram os outros a procurar, e também a encontraram logo

Enquanto eles faziam uns rabiscos num papel e metiam uma coisinhas na caixa (porque será que não me deixaram ver o que era?! Eu gostava tanto de ver…), eu fui brincando com as pedras e paus que estavm no chão.

O Filipe e o David brincaram muito comigo, e eu estava a divertir-me muito, mas o meu pai apanhou-me de costas e meteu-me novamente à força dentro da mochila Que mau!!! Eu estava a gostar tanto de estar ali!

Ainda por cima escolheram um caminho de terra para o regresso, sem pedras nenhumas nem arbustos… Que seca…

Bem, pelo caminho o papá e o MAntunes ainda tiveram tempo de pregar um susto num amigo deles que se estava a preparar para fazer uma visita à cache, mas sem sair do jeep… Não sei como fará! Deve ter uns braços muito compridos…

E pronto, chegámos novamente ao popó, prenderam-me à força à cadeirinha, para eu não poder brincar mais, e voltámos para casa… Que triste…

Mas à chegada a mamã estava à minha espera!!!!

Adoro voltar para ela depois dos passeios!!!

Beijinhos para todos,
Tomás

4 responses so far ↓

  • 1 Snoopy // Oct 6, 2004 at 22:43

    Olá Tomás. É muita gira essa tua história. Infelizmente eu não fui… [sad] O meu "motorista" deve andar com medo que eu lhe suje o popó novo… Mas havemos de nos encontrar de novo numa "cachada" por aí… ah! e leva a tua gata Matias. Gostava de jogar ao "gato sapato" com ela.

    Uma lambidela amiga.

    "Snoopy"

  • 2 Cisca // Oct 7, 2004 at 23:16

    Se a minha companheira Matias não for, eu posso ir lá dar uma "olá" ao Znupi.
    ….ah, convem levar pensos…

  • 3 portelada // Oct 7, 2004 at 23:34

    Subiram a pé ????  …. o teu pai deve estar a ser influenciado pelo antunes !!!!  Pai qie é pai leva o carro até atolar !!!!  

  • 4 bargao_henriques // Oct 8, 2004 at 00:07

    A subida é do melhor que a cache tem! Aparte do fojo e da própria cache, claro!

    Se eu fosse o seu dono, teria dado um wpt do parque de estacionamento, com indicação para a malta subir a direito!

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 34 queries in 0.120 seconds.