Esqueci-me de qualquer coisa…

- 2005/08/08

Já alguma vez regressaram de uma caçada, e sentiram que algo não foi feito como deve de ser?
Hoje foi um desses dias.
Depois de termos decidido qual a cache que seria feita no fim de semana, elegemos uma nova, do PH na Ericeira.
Até aqui tudo normal, tirando a tristeza que sentimos no caminho ao passarmos pela Malveira, a diferença que se vê entre uma elevação que tem escrito "Viva o Benfica" totalmente devorada pelas chamas e a mesma elevação que era verde umas semanas antes.
 

Chegada à Ericeira, estacionar o carro, cumprir escrupulosamente as indicações da descrição, saborear ao máximo o prazer da caçada, ficar maravilhado com o ambiente da povoação, observar com atenção os pormenores que nos passam despercebidos normalmente, enfim tudo a correr bem com as coordenadas, tudo certinho…
Até que as coisas ficam “cinzentas”.
Na coordenada final, verificamos que o pessoal de um restaurante nas redondezas, cujas traseiras dão para o local da cache está em tempo de pausa, aproveitando para fumar uns cigarritos.
Ok! Aguenta-se um coche…
Visita-se as redondezas, numa de despreocupados, vê-se um maluco entrar dentro de água no meio das rochas com umas ondazitas que já metem algum respeito, observam-se uns viveiros abandonados, e o pessoal do restaurante não pára de fumar…
Aguenta-se…
É agora, ninguém a olhar… esgueiro-me para dentro da fenda… “ Pá, vem aí pessoal a descer a rampa…”…
Não há azar, faço o log mesmo aqui dentro, pensei.
Procuro a cache, que encontro com facilidade… “Aguenta ai, quando puderes sair eu aviso…”,
“Mau…”- pensei.
Mãos à obra, abro a cache, tento acomodar-me o melhor possível, pezinho apoiado, cache em cima da perna, e pimba…cai tudo ao chão…” Pá granda basqueiro…” ouve-se lá de fora.” Aguenta que os gajos ainda não descolaram daqui…”
Apanho tudo, verifico que não ficou nada no chão, abro o logbook , e fico completamente “congelado”, escrevi qualquer coisa aparvalhada, esqueço-me de por a data no log, cai-me tudo outra vez… não encontro o afia, que tenho a certeza que estava no saco do logbook, lá o encontro, falta-me qualquer coisa, falta-me qualquer coisa, Ah… é o in do porta-chaves, ok, está tudo…não… falta escrever que tirei o TB…
Espero dentro da fenda…queres ver que se esqueceram de mim…”Costinha vem ai uma excursão…Tou a reinar, podes sair agora…”
Uff… Esgueiro-me buraco fora. Estou a suar, sacudo a poeira da t-shirt  e das calças,  parece que é a primeira vez que estou a fazer uma cache…
Nunca estive muito à vontade em caches urbanas, fico sempre com a sensação de que me estão a ver, só fico descansado quando há outro Found, ainda não aprendi a “cachar” sem este pesadelo, felizmente esta cache já teve pelo menos uma visita. Já posso dormir descansado hoje.
Já prometi um log mais inspirado ao dono da cache, na próxima cache dele que façamos.

14 responses so far ↓

  • 1 Walrus // Aug 8, 2005 at 00:38

    E em breve terá mais visitas… 😀

  • 2 btrodrigues // Aug 8, 2005 at 02:32

    same thing here. decidimos fazer a manutenção da petals e depois rumar à Ericeira para jantar em casa dos meus pais. depois de um NF em LX, num sítio cheio de gente, precisávamos de "ar puro"

    fiquei boquiaberto com o monte do "viva o benfica" queimado, até disse que tinha sido algum lagarto com mais um bocadinho de azia…

    seguimos para o penedo de lexim e depois para a aldeia josé franco. apreciámos as vistas e o pão com chouriço mas a patroa começou logo a queixar-se que não gostava de caches virtuais, portanto lá tivémos que ir (dito assim parece que foi de castigo) fazer o forte do zambujal e a cache nova do PH na Ericeira.

    descansa. a cache estava lá pela hora do pôr do sol. foi preciso encenar uma sessão de palhaçada fotográfica para entrar e sair do buraco (que faz lembrar o buraco da agulha da six feet under – ou isso ou eu tou a ficar gordo) e para fazer o log _cá fora_

    o log dos lamas é, efectivamente, curto. e falta-lhe a data. só isso 😉 para a próxima escreves uma A4 e anexas ao logbook.

    ainda não falei com o PH sobre isso, mas aquele sítio é traiçoeiro. se estiver alguém dentro do restaurante a seguir os movimentos de quem cacha, poderá haver algum perigo, para não falar nas "excursões" ali abaixo e ao pessoal que aparece de todo o lado…

    esperemos que corra tudo bem…

  • 3 MAntunes // Aug 8, 2005 at 07:29

    …porque me sabia a "fel de mau perdedor". Mas, agora que vejo que não sou o único com esta sensação, fico mais à vontade em afirmar que, realmente as caches que me dão mais "desconforto" são as citadinas. O stress que é o arranjar-se oportunidade para as procurar, voltar a colocar, ficar-se com a angustia de saber se ela foi encontrada outra vez após a nossa visita… Tudo isso também me aconteceu variadas vezes e, isto, não tem a haver com o "valor" da cache (tema, documentação na cache/online, imaginação do autor na preparação da cache, etc). É mesmo o local que, por ser muito frequentado, torna uma caçada em algo de stressante e desagradável.

    Cada vez que me lembro que fui 5 ou 6 vezes à "Senhora do Monte" ( e depois, com a pressa/stress fiz burrada ) ou que demorei 45 minutos a confirmar que a "São Pedro de Alcantara" não estava lá…

    Não sou contra as citadinas – fui dos primeiros a colocar uma – mas se calhar já estão a ser criadas demasiadas caches dessas ou então o pessoal que as coloca, devia pensar mais neste aspecto, sendo mais selectivo ao escolher o local para a colocação e tendo o discernimento suficiente para decidir não colocar a cache só porque não hà local para que seja procurada à vontade.

    Neste aspecto, é penas as virtuais terem acabado…

  • 4 bargao_henriques // Aug 8, 2005 at 08:58

    Que grande tempestade num copo de água…

    1º Aquele buraco é visitado por imensa gente, putos, turistas, etc… (Bruno, acho que estás a ficar gordo… :-D)

    2º A descrição do local da cache é suficiente para que seja encontrada em segundos, sem demoras nem dificuldades.

    3º O local, por ser confinado, confere a privacidade suficiente para que a caçada corra bem, especialmente se o geocacher não for sozinho e tiver ficado alguém à porta a dar mais cor ao cenário.

    4º A cache estava muito bem escondida e, se voltar a ser bem escondida, a probabilidade de ser encontrada por algum visitante não-geocacher é muito reduzida

    5º Mesmo que alguém veja a actividade de busca, o que é mais que provável, duvido que decida ir cuscar o que ali se passou, porque, como já disse, pessoas a brincar naqueles buracos todos é coisa que não falta.

    6º A cache é assim e está escondida daquela forma porque foi essa a minha intenção. Ninguém é obrigado a visitá-la. Aliás, a intenção é levar as pessoas a visitarem e conhecerem a Ericeira. Se alguém não conseguir encontrar a cache porque não teve oportunidade de o fazer devido aos mirones, mande-me uma foto do local, que eu aceito o "Found".

    7º MAntunes, dispenso a má publicidade a uma cache que considero muito bem conseguida e que ainda nem visitaste… Primeiro visita a cache e tece os comentários depois. Depois da visita até pode ser que não tenhas a mesma opinião.

  • 5 MAntunes // Aug 8, 2005 at 09:39

    Bem me parecia que devia ter continuado a guardar as minhas opiniões para mim…

    Eu não falei da cache Ericeira em particular mas das citadinas em geral e, referia-me à maneira, ou local exacto, de colocação de algumas delas  (e poderia ter apontado mais exemplos como a "Gulbenkian").

    Para esclarecer melhor o que digo, veja-se a  "Quinta da Alagoa"; A colocação inicial era bastante complicada. Agora está muito melhor. A cache "é a mesma", o mesmo valor, o mesmíssimo objectivo que é o de mostrar um excelente parque.

    Tem calma "PH". Amanhã resolvemos isto ao almoço. 😉

  • 6 lamas // Aug 8, 2005 at 12:26

    Não foi minha intenção provocar qualquer tipo de critica, longe disso está o meu desabafo.
    Esta cache tem tudo o que deve ter. É do melhor que tenho visto para dar a conhecer um local, está realmente muito bem estruturada, e posso dar como exemplo a pista para a cache final, que poderia levantar ulgumas duvidas, mas que o PH contornou com sabedoria.
    Afinal só quis fazer ver que por vezes a experiência, (já fizemos umas quantas caches…)nos prega algumas partidas.
    A minha maior preocupação é a de que o empenho e dedicação posta numa cache sejam desfeitas, por uma acção menos conseguida da nossa parte.

  • 7 2 Cotas // Aug 8, 2005 at 13:11

    Tenham lá calma.

    Este é mesmo um daqueles casos onde é possivel começar uma grande peixeirada sem grande sentido.

    Pelo menos a "confusão" instalou-se aqui. Não me parece que os Lamas quisessem entrar por ai, que o Manel pussesse defeitos nesta cache, ou que o PH precisasse de vir defender a dama dele.

    Eu tambem gosto pouco de caches de cidade, fico meio preocupado depois de as fazer, já me aconteceu provocar situações destas e aparecerem colegas a provocar reacções mais acaloradas em caches minhas.

    Mas ainda bem que a coisa começou aqui, (e espero que tenha acabado aqui), e que ninguem tenha tido o desplante de fazer logues com instintos assassinos e de os manter contra tudo e contra todos.

    A bem dizer é o risco de qualquer owner.

    No harm done!  

  • 8 mca // Aug 8, 2005 at 21:12

    Eu também fico com essa sensação, e muitas vezes! Ainda por cima já desapareceram várias caches em que fui eu o último a visitar… felizmente continuam a acreditar que não fui eu que as trouxe para casa….. (e entretanto a colecção de caches no meu roupeiro vai aumentando, eheheh)…..

    Concordo que as citadinas são as mais complicadas nesse aspecto, e continuo a achar que a máquina fotográfica é o nosso melhor aliado para (tentar) disfarçar alguma coisa….

    Por outro lado o facto de procurar, encontrar, logar e esconder algo que está ali ao pé de toda a gente mas que ninguém sabe que existe, apenas nós, dá-nos uma certa sensação de que somos reis e senhores daquele local! Os outros são muggles (ver livros Harry Potter) que vivem na ignorância de não saber que tais tesouros de facto existem eheheheh

    MCA

  • 9 Walrus // Aug 9, 2005 at 00:20

    Acho que as caches citadinas (pelo menos boa parte delas) deixam em todos nós essa sensação de só ficarmos descansados quando há outro found.

    Aliás, eu tb tenho essa sensação nas caches onde deixo TBs, sejam elas citadinas ou rurais.

    Mas penso que tb é um facto que, como já vi escrito num log algures, o geocaching é melhor que qualquer guia ou roteiro turistico 🙂 No momento em que escrevo este comentário está um geocacher espanhol a "semear" logs pelas "nossas" caches de Lisboa e Almada…

    E uma virtual não substitui o prazer de encontrar uma cache física, mesmo que seja uma micro… 😀

  • 10 zoom_bee // Aug 9, 2005 at 10:04

    "Por vezes não gostamos, a coisa correu mesmo mal ou aquilo é execrável. Mas há trabalho envolvido. Podemos ser parciais. Podemos exceder-nos. É fácil, muito fácil, terrivelmente fácil, que o sentido de uma critica publica seja distorcido, empolado ou simplesmente injusto. Se rasgamos as calças, se o salto alto da namorada se partiu e ela aproveitou para nos trocar pelo vesgo do vizinho, ou se a maria/manel estava especialmente inoperante na noite anterior e for a cache a pagar, destruímos o trabalho de alguém que teve a simpatia de nos proporcionar o melhor que sabia ou podia. Logo no local ou em casa posteriormente, damos-lhe cabo das orelhas, mas em privado. Afinal é só uma opinião. Provavelmente não mais voltaremos aquele lugar. Falem em privado, expliquem os pontos de vista, peçam correcções. Um logue agressivo ou maldoso podia ser apropriado, mas não deixa de matar inutilmente uma cache. "

    ai se eu pusesse a boca no trombone de cada vez que vejo uma caixeta fdp…ui meninos… medo… MUITO MEDO!
    A minha solução é dar uns 2, 3 (às vezes é preciso +…) dias antes de fazer o bendito log…
    Controlem lá as hormonas…

  • 11 Cachapim // Aug 9, 2005 at 11:48

    Então nem vos conto a caixeta manhosa fdp da cache galega/espanhola das Pozas do Rio Caldo… Oooops! Agora já contei :o)

    O "logbook" (?) era o verso da folha A4 com a stashnote! Estes nuestros hermanos son muy baldas, verdad? E ainda por cima vinha mal habituado por causa da qualidade dos taparuéres dos zoom_bee team, feitinhos de fresco no parque de Lamas de Mouro…

    Segui a técnica referida, deixei passar dois dias, respirei fundo, contei até 10 e fiz um log simpático pró hermano. Há trabalho envolvido e vale sempre a pena um feedback positivo.

  • 12 2 Cotas // Aug 9, 2005 at 12:00

    GCM – perguntam vocês o que é…
    Vá, perguntem!
    Já recebi uma mão cheia de interpretações, mas nenhuma a correcta. A todos fui explicando, com as mais variadas reacções.

    Sim há GRANDES CACHES e outras no lado contrário da escala, mas vá, tenham calma e pensem que a vossa opinião pode ser influenciada por factores exógenos, (phoniquesse…), e perfeitamente contrária a outras.
    Já se aperceberam do efeito de um simples “FOUND”?

  • 13 zoom_bee // Aug 9, 2005 at 15:39

    … o pobre desconfia!

    "…vinha mal habituado por causa da qualidade dos taparuéres dos zoom_bee team, feitinhos de fresco no parque de Lamas de Mouro… "

    🙂

  • 14 portelada // Aug 11, 2005 at 00:34

    …caches..???   ké isso??

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 34 queries in 0.321 seconds.