Manifesto Bio-degradavel

2 Cotas - 2006/09/20

Arre…
Claro que é a minha opinião, claro que sou fundamentalista, claro que vocês não têm razão nenhuma.

Dito isto…
Até nem uso muito sacos. O pessoal anda de olho neles, por isso são muito conspícuos.
Quando ando á caça procuro qualquer coisa preta, quando muito verde vómito. Só quando não funciona é que começo a olhar para outros objectos com ar de deslocados naquele ambiente.
Por isso é que acho que qualquer coisa “notável” se nota demasiado. O que se torna perigoso em termos de longevidade da coisa.

Nada melhor para ser muguelizado do que notar-se. O que não se nota não se mugueliza.
Pior ainda, coisos todos pipis, abichanados, a dizer GEOCACHING! OFFICIAL GEOCACHING! Alem de ser um abuso económico, negociata manhosa, enriquecimento indevido, nota-se! Vê-se! A milhas.

A cena é mesmo por aquilo a ver-se, como todos vem os muglers atiram-se aquilo, empandeiram os interiores para o caixote do lixo e o Jeremias vende mais. Apoiado pela pandilha dos “milhares de gajos” o rapazito vende caixitas aos kilos. Pior que tudo é o preço, o tempo que demoram e as taxas envolvidas. Roubam todos. O Jeremias, a alfandega e os muglers. E ainda vocês querem que eu alinhe nisso?  NowayJozei!

Os saquitos vendem-se no contênêntê, os patarueres no chinês, lápis no IKEA, blocos no escritório. Sacos dos congelados, molas da roupa, do cabelo. Bilhetes de autocarro, de cinema e dos saldos. Pins do Porto, (Fonix, do Porto?), relógios avariados, pilhas a babar, isqueiros vazios, fósforos molhados. E já está!
Quando muito á laia de TB ainda se encontrava um passaporte abandonado já meio desfeito pelo tempo, agora com a mertha da mania das Geocoinas já se olha para os Tb com ar revoltado. O que vale é que o pessoal se borrifa na contagem e pesca-as mesmo sem ligar muito aos logues. Tempos modernos.

Mas não há crise, agora a moda é mesmo a fotocopia. Começou. Vamos a ver como acaba. Não sei o que é pior, se encher os bolsos ao Jeremias á custa do registo no Geo.com, se os bolsos aos chineses que as fazem. Razão tem os amarelos. Se é para brincar, paga. Ainda não se lembraram, mas não deve faltar muito, pacotes de caches, pré cozinhadas. Tipo feijoada de caches do Gerez. Entrecache á Alto-alentejo. Ou Cacheirada á Algarvia. Tudo registável no Jeremias. A pagantes.

Por falar em monédas. Qual é o impedimento de pegar, não em uma, não em duas, não em três, mas meus senhores, em dúzias. Dúzias. De fotocópias de geocóines.  Cada uma delas inteira, com o respectivo passaporte, que isto de regras é para cumprir e o respeitinho é muito bonito, e despeja-las em tudo o que for contentor OFFICIAL GEOCACHING? Quando encontrar um desses milhares de gajos de que tanto se fala hei-de-lhe perguntar. Afinal até foram eles que se lembraram primeiro.

O único problema era mesmo conseguir diferençar aquilo do molho dos restantes papéis. Entre stachnotes em varias línguas, wellcomes poliglotas incluindo muglês, descrições do local com biqueiros de fotos e varias outras complementaridades escritas em papel biodegradado, mais ou menos palermices fotocopiadas deviam fazer tanta diferença como agora. Confesso que ainda estou á espera de ver um muglîco sentado á beira de uma cache completamente siderado com a proliferação cultural presente. Cultura OFFICIAL.

Mas eu mantenho a minha. Sorry but, se algma vez forem comigo dar uma passeata nonOFFICAL-GEOCACHING e estenderem a mão para o saquito preto, não meio, não ¾, mas perfeitamente abandonado, completamente esquecido, ignobilmente ignorado, levam um tabefe. Dos grandes. Daqueles inesquecíveis.
Agora, se nas mesmas condições, no mesmo local, exactamente na mesma posição, coordenadóequivalentemente coerente, estiver um contentorzito OFFICIAL GEOCACHING, e vocês passarem ao lado, despropositadamente de lado, prometo que murmuro baixinho, “artolas”, “é mesmo abstruzio”, “nem se te batesse na mona”, “cegueta”. Mas não digo nada em voz alta, só mesmo cá para os meus botões.

Com que então vocês acham que as caixelhas dos chineses tem um jeito especial de chamar a atenção quando estão embrulhadas num reles saquito? Maior do que uma coiselha OFFICIAL GEOCACHING plantada no mesmo sitio? O sentido do humor é mesmo uma coisa sem sentido. Se se queixassem do cheiro a bife, sabonetes, perfumes, geles de banho ou das camisinhas com sabores variados, vá que não vá, agora do saquito bio-degrada-do;nte;vel? Chatos.

53 responses so far ↓

  • 1 2 Cotas // Sep 22, 2006 at 23:25

    …and counting!

  • 2 Bsaavedra // Sep 22, 2006 at 23:35

    E que tal uma votação para acabar com a conversa? Não é que resolva alguma coisa pois quem quer usa sacos quem não quer não usa, mas sempre dava uma ideia de quantos acham bem e quantos acham mal.

    Ps: Convoquem uma assembleia geral ( oh não mais um evento ) para discutir o assunto 😛

  • 3 2 Cotas // Sep 22, 2006 at 23:46

    …depende…

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.413 seconds.