Teleassistência da Cruz Vermelha Portuguesa e Geocaching

MAntunes - 2011/07/15

http://www.cruzvermelha.pt/actividades/teleassistencia.html

Móvel2

“Quem vai para o Mar, avia-se em Terra”

“…ou seja, não penses que é quando estás numa situação complicada que te podes tentar safar se não te preparaste para isso antes.”

Este processo começou com o visionamento de um anúncio na revista Itinerante, conforme explicado aqui, neste post do nosso fórum.

O Serviço móvel de Teleassistência da Cruz Vermelha Portuguesa é um serviço telefónico de apoio, com suporte de localizador GPS, pensado para melhorar a segurança dos seus utilizadores.
Funciona 24 horas por dia, 365 dias por ano e abrange todo o território nacional. É um serviço de abrangência nacional (incluindo) ilhas, suportado pela rede Vodafone, em que é possível enviar uma mensagem de socorro a uma operadora da Cruz Vermelha Portuguesa, que depois encaminhará a chamada para os serviços de emergência da área do sinistrado.teleassistncia cvp1 É possível também estabelecer checkpoints, ou seja comunicar com a operadora e combinar um momento de contacto (em que se o contacto for falhado, se activam serviços de socorro) – o que permite colmatar possíveis falhas de cobertura da rede (relembrem-se que é um serviço suportado por uma rede telemóvel).

Tal como dito no tal post, o serviço pareceu-nos logo uma boa mais-valia para aumentar a segurança e prontidão de socorro a praticantes de actividades de outdoor (como, por exemplo, nós os geocachers mas também caminhantes/trekkers, BTTtistas, canyoners, etc…).

 

Mas, tal como também foi referido na altura, o serviço apresentava algumas características que o tornavam menos atractivo para actividades sazonais como a nossa, seja pelas condições meteorológicas, seja pela menor disponibilidade para as tais actividades outdoor. As características menos atractivas tinham a ver com a duração dos períodos de aluguer: anuais, com um ano de fidelização.

Não contentes em comentar/criticar e encolher os ombros, decidimos contactar a Cruz Vermelha Portuguesa e manifestar o nosso agrado pela existência do serviço mas a nossa pena pela questão das características do licenciamento apontando que isso impediria a sua implantação entre utilizadores sazonais.

Surpresas das surpresas, pelo menos para o que é a norma em Portugal, fomos contactados pela Cruz Vermelha Portuguesa para a realização de uma reunião onde iríamos expor as nossas ideias e aprofundar a sugestão adiantada através do formulário de contacto.

Assim, agendada a reunião, lá fomos a semana passada, eu e o Ricardo Silva (lynxpardinus) falar com a Cruz Vermelha Portuguesa, mais especificamente, com a Coordenadora do Serviço de Teleassistência.

CVP0000330bxCVP0000331bx

Concretizámos a nossa ideia, detalhando os pormenores e apresentámos o Geocaching, tanto através de links para este site como através do visionamento daEquipamentoMovel reportagem do programa Magazine 2010, transmitido em Agosto de 2005 na RTP2. Referimos que, além dos Geocachers haverá outros possíveis interessados neste serviço em moldes mais sazonais.

Já durante o início da conversa fomos sendo agradavelmente surpreendidos com sinais que indiciavam a adaptação da nossa sugestão e tal veio a concretizar-se: a Cruz Vermelha Portuguesa aceitou que praticantes de actividade de outdoor e outro tipo de possíveis utentes (acidentados em recuperação, grávidas de alto risco que possam precisar de um acompanhamento mais efectivo nos últimos meses da sua gravidez, etc, etc…) pudessem necessitar de um plano de adesão mais flexível.

Assim, a parte final da conversa, destinou-se a explicações e demonstrações do serviço móvel TA e à especificação das alterações ao serviço:

– vai ser possível alugar por períodos mensais, trimestrais, semestrais e, os anteriormente já existentes, anuais;

– o período mínimo de aluguer é de um mês;

– contrariamente ao por nós sugerido, não haverá lugar a caução para cobrir danos ou extravio do aparelho mas haverá um termo de responsabilidade com o mesmo objectivo. Ou seja, só se desembolsa o valor do equipamento se o danificarmos ou perdermos;

– o período de aluguer não necessita de coincidir com os períodos de calendário – o mês de aluguer pode começar a meio de um mês de calendário;

– haverá possibilidade de personalizar a mensagem de serviço para Geocachers (a detalhar mais tarde);

– valor das mensalidades é de 16€/mês até 4 meses de aluguer ou de 24€/mês para períodos mais longos. Neste caso, compensaria mais o aluguer anual;

– o pagamento da mensalidade será feito por débito bancário directo;

– a devolução será feita por correio ou, para quem pode, directamente nas instalações da Cruz Vermelha Portuguesa;

Já foi criada uma Ficha de adesão para Geocachers e conseguiu-se simplificar a questão da comunicação de fim de serviço, colocando num único documento todas as questões importantes; adesão, termo de responsabilidade e prazo de duração do aluguer;

TACVPlogorecortado

 

Esperamos que estas alterações ao serviço de Teleassistência da Cruz Vermelha Portuguesa possam ser interessantes para alguns de nós, que se aventuram um pouco mais e que, assim, o possamos fazer com mais segurança sabendo que em caso de necessidade, basta pressionar um botão para podermos ser assistidos e socorridos (ouvindo o tema sonoro da pantera cor-de-rosa).

Manuel Antunes e Ricardo Silva.

2 responses so far ↓

  • 1 lynxpardinus // Jul 18, 2011 at 16:23

    Manuel,

    Sempre vais fazer de “beta tester”?

  • 2 Manuel // Jul 18, 2011 at 16:34

    Já sou utuilizador do serviço desde a semana passada e até 9 de Outubro e este fds andei a montar a minha bike nos trilhos e caminhos em volta da albufeira da tapada grande, Minas de S. Domingos e nos percursos de contrabandistas, na minha “Calvários,” e já me senti ‘seguro’ por saber que estava a ser acompanhado pela CV. 🙂
    Notei os sinais de que eles me estavam a monitorizar a minha localização.

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.147 seconds.