Virtuais

lynxpardinus - 2010/05/12

 

Eu sei que são uma coisa do passado. Que não vão voltar mais. Mas… eu gosto de fazer virtuais!

Antes de mais porque era muito mais difícil fazer um DNF. Acho que ainda consegui alguns mas, convenhamos, deu trabalho.

Depois por… uma questão de qualidade. E neste aspecto até poderia falar de caches excepcionais (ok, assim de repente só me lembro da “Memories of stone and water“, que continua no meu top 10 de sempre; ah, espera, também havia a “ISS” (alguém sabe o código GC?) que era um hino à diferença cachiana), mas não. Na realidade, acho que a maioria das virtuais está muito à frente da média das caches tradicionais, pelo menos num aspecto – o sítio a visitar.

As virtuais foram ‘congeladas’ há uns anitos atrás. Deixaram de se poder colocar novas. Ou seja, a partir de um determinado período, apenas as que já existiam permaneceram. Todas as outras, as “caches reais”, continuaram a ser alegremente colocadas. E isto deu origem a um fenómeno muito interessante. É que, há medida que o jogo evoluiu, por uma série de factores (generalização de utilizadores – em vez de ser meia dúzia de maluquinhos que achavam que colocar uma cache era quase tão bom como ter um filho, temos agora uma normalização do geocacher -, a maioria dos melhores e mais óbvios locais já estará ocupada, a vontade de pôr uma primeira cache por gente sem experiência – o que com 1000 utilizadores novos é uma coisa, mas com 1000000 é outra completamente diferente -, a ausência de critérios qualitativos para a aprovação de caches, …) houve uma degradação da qualidade média dos locais onde as caches “reais” foram colocadas – e, podem ter a certeza, esta média vai continuar a baixar. É uma evidência puramente matemática.

Com as virtuais, isto não aconteceu. Não houve novas. Os locais onde elas foram colocadas continuam os mesmos – em qualidade, localização, número. Podemos continuar a confiar que, em cada 10 virtuais visitadas, 9 vão ser em locais interessantes! O que, se compararmos com a média de qualidade das localizações urbanas, é uma diferença abissal! E, vamos ser sinceros, a descoberta de pontos interessantes é algo que está na raiz deste jogo.

Claro que podemos dizer que é contra o espírito do jogo. Bom, também saltar passos de uma multi-cache e ir directamente às coordenadas finais o é – na realidade, e na minha opinião, até é bem pior. No entanto, neste momento, isso é considerado perfeitamente normal por parte do maior facilitador de jogo (Groundspeak), na sua política usual de laxismo. Também se pode argumentar com o Waymarking – muito sinceramente, não me apetece andar a criar uma base de dados de localizações geográficas de pastelarias para a Groundspeak. Claramente falta-lhe o apelo da descoberta (pelo menos para mim).

Eu gosto de virtuais. Ainda por cima, agora, ganharam aquele perfume romântico a qualquer coisa do passado. Um charme de um tempo que não volta atrás. Uma boa virtual, continua a ser algo que me faz lembrar o início do geocaching. Mais do que correr atrás de caixotinhos, é uma forma diferente de descobrir o Mundo.

<

3 responses so far ↓

  • 1 Elemento dos Cheocachers Anonimos // May 12, 2010 at 15:52

    A cache do ISS não era virtual mas locationless (GCC349 – International Space Station), mas confesso que foi uma das caches “virtuais” que mais gozo me deu fazer. Acima de muitas “reais”.
    Levantar-me às 5:00 da manhã, montar o tripé, preparar o disparador automático, esperar pelo momento certo e pumba, falhar a fotografia por uns segundos. Ter de repetir tudo de novo no dia seguinte…
    Aprendi um pouco de photoshop para os retoques finais.

    PS: agora podes continuar a colocar “virtuais”, só têm que se chamar Earthcaches… 😉

  • 2 meninosousa // May 13, 2010 at 00:18

    sinceramente adorei todas as virtuais que fiz…foram diferentes…fazer com que 9 gatos pingados se juntassem bem juntinhos num canto da máquina por duas vezes nos açores foi mesmo risadaaaaaaaa. por um lado sim concordo que as virtuais não sejam caches…mas no entanto são “virtuais”…tal como sinceramente não concordo que as earthcaches sejam possíveis de colocar. se por um lado é verdade que dá para aprender algo (as virtuais também ensinavam), também é verdade que não há um container físico…enfim discussão que daria pano pa mangas…digam lá, a groundspeak deve ter feito um acordo com a tupperware (…não é piada, talvez)
    hAzTaAaAaAaAaaaaA

  • 3 Ricardo Ribeiro // May 15, 2010 at 11:20

    E eu que tinha aqui uma alma gémea e não me tinha apercebido.

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.167 seconds.