Ai o raio do Noivo!!!…

- 2004/10/16

Ele há gajos que convidam os amigos para uma mega-caçada-pela-noite-fora-a-fazer-as-vezes-de-despedida-de-solteiro mas depois, em vez de se divertirem COM os amigos, decidem tentar "papar" as caches todas antes dos outros…

E além de tentarem, até quase que conseguem!!!

Até à hora em que resolvi arrastar as minhas ossadas até casa, desistindo da última cache, lá pelas 8 e tal da manhã (devo informar que começámos às 22:30…), o caramelo já tinha encontrado 4 das 7 caches visitadas, mesmo com os restantes 7 gajos à procura ao mesmo tempo que ele!!!

Não entendo… Lá porque se vai casar amanhã, o que é que isso tem assim de tão especial, para lhe dar o direito de não me deixar ser o primeiro a encontrar pelo menos uma das caches?! Ã?!

Aiaiai…

O dito noivo que se justifique! E rápidamente, antes de se exilar no México com a noiva!

Vá, estamos à espera

15 responses so far ↓

  • 1 MAntunes // Oct 16, 2004 at 17:27

    Como referido, o MCA convidou alguns de nós a acompanhá-lo numa caçada ás caches durante toda a notie. Os que puderam alinhar, compareceram junto á Torre Vasco da Gama á 10H30 de 15/10/2004, para o início.

    E iniciou-se bem; a certa altura já havia um portátil ligado na mala de um carro e outro portátil (com um wallpaper muita giro ) no tejadilho de outro…

    Até que alguém lá se lembrou que tinhamos cerca de 300 kms para andar e lá no fomos embora para o raid.

    Começámos pela  "Cristo Rei" mas o recinto estava fechado. Seguimos para a "Parque da Paz" e aí começou a verdadeira aventura. Depois, seguimos para a "Perdido na Mata" (apesar dos avisos do Rechena para não irmos lá á noite – agora percebo… há lá um assunto que requer a atenção urgente dele…) Bem… além da aventura, começou o divertimento: nas ondas hertzianas que chegavam aos nossos walkietalkies, apareceu a voz de alguém que precisava da "bateria para o jantar". Pensamos que eram comunicações de Fuzileiros.

    De seguida, rumámos para o AE (depois de o PH decidir alinhar até ao fim) e fomos até á "O Castelo" em Montemor-o-Novo. O Luís continuou a mostrar que tem a pontaria afinada e não deu hipóteses apesar de se ter enganado no caminho e nós termo-nos escondido para ele ir por ali abaixo enquanto os outros encontravam a cache.. .

    De Montemor, rumámos para a "The Jewell of Saphire" onde não havia ninguém a detectar metais mais apareceu um "fantasma" algo desajeitado.

    Chegou a vez da "Ribeira de Canha" e a minha vez de entrar em acção… não me saí nada mal apesar de me ter enganado na entrada para a EN 380 e ter perdido o primeiro lugar na caravana… . Depois desta cache, nos nossos planos só estava a "The Lighthouse" em Sesimbra mas, como tinhamos falhado a "Cristo Rei" comecei a fazer contas e concluí que era engraçado que alguns do grupo batessem o record de caches encontradas num dia… Vai de sacar do PDA e começar a ver o que havia pelo caminho…. "Mouriscas"!." Vamos a ela!!!!" – diz o grupo. . Aqui nesta cache, que eu já tinha visitado (para variar) e o Nuno também, armámo-nos em "castigadores" e só demos as coordenadas ao pessoal (não vinham preparados para esta cache) – "Dicas? Só ao fim de 15 minutos! Procurem…" Arrisquei eu apesar de alguns andarem com um bastão metálico na mão… Mas a Elvira mostrou como se faz e encontrou a cache antes do fim do prazo sem dicas. Então, finalmente, rumámos para Sesimbra para acabar com a cache da CrisLuiz (salvo seja). Esta deu um bocado de luta apesar de andarmos 8 a procurar ao mesmo tempo. O MCA voltou a mostrar que se preparou devidamente para  o casamento (tirando um pequena confusãozinha que relato já a sguir ).

    Terminada esta, o grupo começou a dividir-se (havia notícias de filhos que já tinham acordado, outros casamentos que se iam realizar e alguém do grupo ainda tinha que ir tomar banho… etc, etc…) Mas a Gabriela, mostrando o estofo de campeã, sugeriu que se fosse tentar a "Cristo Rei" outra vez. Já devia estar "aberta"… Assim decidiram os 4 resistentes (Gabriela, PPinheiro, MCA e eu)  tentar que alguns de nós elevasse a fasquia do record para 8 caches num só dia (num só dia, não! Em 9 horas e 23minutos! "mainada"!!!) Como os portões estavam abertos, lá fomos e o MCA arrematou a noite em beleza. Acho que escreveu no log; "Ao fim de 8 caches, vou casar-me!" (ou algo com o mesmo sentido).

    E prontos. Isto é o meu relato mas penso outros companheiros da caçada nocturna podem acrescentar algo – hà muitos pormenores que podem ser detalhados: as bolas grandes do PH, a minha bolinha pequenina mas colorida, a explicação que dei ao MCA sobre o motivo pelo qual os homens casados engordam, os walkietalkies e as bocas entre as viaturas, as confusões entre "in" e "out" que o MCA teve durante toda a noite ( ele encontrar as caches, encontra mas depois faz cá uma confusão com o "in" e o "out"… hmmmm isto na véspera do casamento já devia estar mais …assimilado… ), o "fantasma" desajeitado na Safira, etc… etc… etc… Foram cerca de dez horas frenéticas de um lado para o outro e muito episódios aconteceram que poderão ser relatados ou melhor detalhados por outros.

    Por mim,

    Obrigado MCA! E… Felicidades!!!

  • 2 Lobo Astuto // Oct 16, 2004 at 21:25

    É Halibut… de certeza!!!!

  • 3 ppinheiro // Oct 17, 2004 at 00:50

    Se não nos esforçámos o suficiente para toda a gente ter a certeza absoluta que somos doidos varridos, não sei o que podemos fazer mais….

    Amanhã ainda vou ter que ser o motorista do carro da noiva do MCA, portanto quando tiver tempo, faço os logs no http://www.geocaching.com e escrevo aqui outros detalhes!

  • 4 MAntunes // Oct 17, 2004 at 11:43

    Agora que já tenho o "sono em dia" (que raio de expressão…), criei um folder na Gallery onde coloquei as minhas fotos. Convido os outros intervenientes no "Geocaching All Night Long", que queiram partilhar as suas fotos, a colocá-las lá. Chama-se MCA: All Night Long"

  • 5 lamas // Oct 17, 2004 at 23:55

    E eu a pensar que estava inserido num grupo de malucos que tnta fazer quatro caches numa manhã…

  • 6 Rechena // Oct 18, 2004 at 12:05

    de nao ter podido ir :(… so consigo imaginar a loucura que deve ter sido..

    Abraço

    E felicidade para o noivo, actualmente ja casado hehe

    Rech

  • 7 CrisLuiz // Oct 18, 2004 at 12:13

    Só hoje é que percebi bem e em toda a sua "extensão e profundidade" o que significa a expressão "maluquinhos dos tuperuéres" ,lol… ou será mais os "maluquinhos das marmitas" ?

    Felicidades para recém casados [:)]!

  • 8 2 Cotas // Oct 18, 2004 at 12:24

    Gostei do Manel a dizer que já tem o sono em dia. Pelo que sei o homem nem dorme e diz ele que ficou com os sonos atrasados! Então que direi eu que ainda ando em regime de domingátarde.

    Mas realmente foi verdade, o bom do Luís estava imparável, cada tiro cada minhoca, cada cavadela cada melro. Não deixou ninguém botar figura, saia do carro, normalmente de  mãos abanar, aluado direito ao lugar e ainda os outros andavam a estacionar os carros e a pendurar as lanternas da testa já ele lá vinha com a caixita na mão. A meio da noite já andava com ar de quem tinha ido a 3 casamentos, alheios, de seguida mas nem assim, Phoniquesse.

    As únicas excepções foi na Ribeira do Canha, onde o manel se atascou num arbusto e só parou quando arrancou de lá a cache. Prái meia hora depois num arbusto com 20 cm de altura, mas esgravatou, esgravatou, esgravatou até que aquilo apareceu. Eu cá até acho que o taparuere nem lá estava, mas alguém o foi lá pô-la pla surrelfa, não fossem os tipos da cuercus desatarem aos gritos. O luís aposto…;

    A outra foi nas Mouriscas, que a Virita descobriu. Também vinha a dormir e sái disparada do carro direito a uma árvore e pespega-se a amarinhar por ela a cima. Parecia a minha gata a afiar as unhas no sofá da sala. Só depois é que olha para mim e pergunta: onde estamos? Assim com uns olhitos parecidos com os do Luís. Vendo bem, parecidos com os de toda a gente. Aluados, todos sujos, cheios de ramos e folhas secas no cabelo e com as testas a brilhar. Quer dizer…; brilho, luminescência, assim tipo “mais pra lá do que prá cá” que já andavam todos com as pilhas fracas.
    Quando olhei á volta, o manel estava a dormir de pé no meio do terreno, o luís estava a murmurar, “in bzebze, out bzebze”. O ppinheiro mais a Gabriela estavam a ressonar encostados a uma árvore. O PH estava a olhar embasbacado para uma pedra e a dizer baixinho, “o próximo slide bzebze” enquanto que o lobo olhava para o céu e acenava com a cabeça como se estivesse mesmo a ver o tal slide. Se calhar estava…;
    Entretanto apareceu uma carrinha carregada de manguelas façanhudos que fez meia volta em 2 pneus e se pôs a milhas ainda não tínhamos acabado de acordar todos…; Imaginem a cena ás três da manhã, no meio do Alentejo!

    Mas voltado ao feliz aniversariante, (sim, daqui a um ano ele faz um ano de casado, não é? Então já pode ser aniversariante hoje.), estava mesmo imparável, só se baralhava uma vez. Quando punha as prendas. Alem de por e tirar a mesma, nunca acertava com a contabilidade. Pelas contas dele deve ter feito aí três milhões de trocas, era sempre a mesma, mas prontos…;
    Mas os outros não estavam melhores, ficavam todos acordados e a assobiar pró ar até eu pôr os porta-chaves. Tinham descoberto que eu levei o meu stock da Tailândia e ficaram todos contentes, até os olhitos se riam. Deram-se ao luxo de escolher. “êhpá eu quero um igual ao que deste aquele á bocado – páh não tens de outra cor? – posso ir as caches a seguir a ti? – dás-me um toque pró TM antes de fazeres o logue?” Pediram-me a morada do fornecedor, fotografaram o saco, até andaram a apalpa-lo com ar sonhador! Cheguei a ter receio.
    A coisa descambou de manhã, quando o Luís recebe um telefonema, salvo erro da mãe, a perguntar-lhe se ele não se lembrava onde é que tinha que estar. Pelo ar dele, fiquei com a ideia que o casório não era no dia seguinte. Ou se calhar já era dia seguinte…;

    Mas verdadeverdadinha aquilo foi violento, tanto ou tão pouco que eu nem sei muito bem quantas caches fizemos durante a noite. Já desfolhei o dossier das descrições uma mão cheia de vezes e de cada vez descubro mais uma. Não sei se a fiz se ouvi falar nela ultimamente, mas não faz mal, não sou eu o único a inventar.

    Cada vez que parávamos numa estação de serviço apareciam os seguranças a mirar. Não estou a inventar, na última vez que paramos na auto-estrada apareceu a BT. Não pediram os documentos a ninguém, mas foi mais para não se meterem em trabalhos, ou então pensaram que não vali a pena estar a pedir documentos a quem parecia mesmo que não os tinha. Eu acho que a Virita os tinha levado, mesmo que a confusão de malas ontem lá em casa me tivesse deixado na dúvida. Mas acho que correu bem.

    Não perdi nada, mas ainda tenho algumas dúvidas se é porque ainda não dei por isso.

  • 9 Lobo Astuto // Oct 18, 2004 at 16:26

    Tenho que repor a verdade!!!! Ó Diamantino e restantes garminianos que estiveram presentes na magnifica despedida de solteiro, que infelizmente não teve strip (ou não!), devem estar a sofrer de stress pós traumático!!!!
    Fui euzinho que encontrou a cache da Jóia de Safira, um magalhães de gema que não recorreu sequer a gps para a encontrar!!!!!!!!!!
    Se fosse pelos garminianos ainda lá estávamos a uns 20 mts de distância da cache, que de pequena não tem nada!!!! Bahahahaha!!!!!!!

    hmmmm… onde tenho o Hirudoid?….. e o Halibut????? err…. se calhar é melhor perguntar aqueles srs de bata branca que estão naquela carrinha com umas luzes azuis a piscar…. brb….

  • 10 Lobo Astuto // Oct 18, 2004 at 16:28

    Queriam oferecer-me uma camisa…. mas tinha defeito e vim-me embora, tinha as mangas muito compridas e apertava-se nas costas! Blharc! Não me devia ficar bem!
    Mas os gajuhs insistiram que eu experimentasse, o que vale é que os despistei!!!!

  • 11 2 Cotas // Oct 18, 2004 at 17:24

    Não tinha contado com essa.
    Mas alguem se lembra de mais?

  • 12 Anonymous // Oct 18, 2004 at 19:31

    Parabéns aos noivos.
    Que todos os rebentos comecem por G.

  • 13 ppinheiro // Oct 25, 2004 at 19:51

    Depois de uma semana a tentar me recompor da despedida de solteiro do Luis (e do casamento!), já consegui fazer os meus logs.

    Comecem em http://www.geocaching.com/seek/log.aspx?IID=231d19ae-8399-4e67-af9d-cbef14cdbb86&LID=5411515 e depois há sempre links para a cache a seguir.

    Boas aventuras!

  • 14 Rechena // Nov 1, 2004 at 23:22

    para aqueles chatos que me andavam a melgar para ir a minha cache "Perdido na mata" ja la fui 😛

    hehe voces sao uns malucos…

    obrigado pelo apoio 😉

    ps: ja alguem sabe noticias do noivo ?

    abraço

    rech

  • 15 mca // Nov 12, 2004 at 00:41

    Amigos e companheiros de caçada, VOLTEI!

    Pois é, o México esteve imparável, o hotel era com tudo pago e as praias tinham águinha quentinha…. Visitámos as redondezas, fizémos actividades radicais (slide, rappel, canoagem, …), provámos a gastronomia local, bebemos margaritas e tequila até à exaustão, conhecemos outros noivos, até sem malas ficámos por alguns dias…. Quanto a caches acabei por só fazer virtuais (ainda não fiz os logs)…

    Só agora dou notícias pois entretanto estive à espera que me ligassem a internet em casa….

    Mais uma vez o meu MUITO OBRIGADO a todoso pelo apoio, e especialmente àqueles que passaram a noite em claro por minha causa (leia-se: que me acompanharam na minha maluqueira e vieram comigo ver o nascer do sol a Sesimbra)… sem dúvida que será um momento para recordar por muitos e muitos anos…. e um obrigado também àqueles que não puderam ir, e também às caras-metades dos que foram e que os tiveram que aturar no dia seguinte, sem dormir…. eheheh

    Ainda ando em mudanças mas rapidamente vou voltar ao activo…..

    Um abraço a todos,
    MCA

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 34 queries in 0.124 seconds.