Modelos de GPS – a minha experiência

Crocodilo - 2004/12/15

Bom, como já há uns anos uso estas maquinetas para trabalhar, pensei em deixar aqui alguns pensamentos sobre os modelos que conheço.

Comprei um Garmin GPS 12 em 1998, e uso-o até hoje, para voar helicópteros. É um modelo de outdoor, bastante básico, mas de uma robustez e fiabilidade impressionantes, à prova de água, com excelente autonomia de baterias e óptima captação de satélites. Tem a adorada função de averaging ao marcar um ponto, e a possibilidade de fazer mark e goto com dois toques de teclas apenas, para uma situação MOB (que utilizo ao fazer SAR sobre o mar). Só posso dizer maravilhas deste aparelho, não tem nada que não seja útil, e cumpre cabalmente as minhas necessidades normais. Com o passar dos anos recheei a sua memória com waypoints aeronáuticos, incluindo hospitais, campos de futebol e heliportos e pistas secundários, bem como rádio-ajudas (cuja frequência anoto no campo destinado às observações). O interface com o PC é fácil, e costumo trazer um pequeno freeware numa pendisk para backup e gestão de waypoints e rotas. Nada mais fácil e simples.

Em 2000 decidi experimentar uma nova geração de aparelhos, e comprei um Garmin eMap. A novidade era a cartografia muito razoável para uma área enorme. Percorri sózinho centenas de quilómetros nas estradas da Bósnia e Croácia, navegando apenas com o GPS, sem ter um único mapa em papel. É difícil arranjar melhor teste que este, e o aparelho é de facto muito bom para isso mesmo: andar de carro. Para voar faltam-lhe diversas funções, como definir linhas de rota, determinar as horas do nascer e põr do sol, apresentar ETAs, etc. Tem um defeito que muito me irrita, contudo: se estivermos bastante próximos de uma estrada, ele tende a "pensar" que estamos de carro, e apresenta a posição ligeiramente desviada, para coincidir com a posição desta. O mapa, com grande zoom, pode assim induzir algum erro. Ainda hoje ando sempre com ele no porta-luvas, e é frequente usá-lo quando vou a um sítio novo. É neste aparelho que vou guardando a minha colecção de waypoints que assinalam bons sítios para começar as minhas jornadas de caça submarina! Adicionalmente, este é o GPS que a minha mulher aprendeu a usar, e empresto-lho sempre que mo pede.

O terceiro modelo foi adquirido e experimentado esta semana. Precisava de um GPS ligeiro, básico, com funções semelhantes às do GPS 12, para poder voar, mas sendo mais prático de utilizar ( andar com ele) no chão. Para as caminhadas, o jogging e o geocaching, afinal. Como as finanças são um (grande) factor, optei pelo modelo de pulso e pilhas Garmin Foretrex 101. Preço convidativo, e venho encontrar as funções que preciso num pacote ligeirissimo. Estou ansioso por o experimentar no ar, porque no chão passou os testes com distinção. Também este modelo é à prova de água e resistente, outras grandes vantagens (que faltam ao eMap). Sinto apenas a falta do panning no mapa, e do campo para anotações nos waypoints, mas vim a ganhar a possibilidade de programar rotas com muitos mais pontos, e uma capacidade de tracklog dez vezes superior ao GPS 12. A cartografia é algo que, para isto, considero perfeitamente dispensável, funções de bússola e altímetro/barómetro/termómetro já as tenho Suunto X-Lander e num Casio Pro-Trek, e assim esta parafernália complementa-se muito bem.

Uma última mas importante ressalva: o uso em voo de GPS não certificados para uso aeronáutico é algo que, se exceder funções de apoio prudente à navegação VFR pode fazer incorrer em sérios riscos e perigos para o próprio e para outros. Mas sobre este tema muito poderia eu escrever…

Abraços à comunidade, e boas geo-caçadas!

Crocodilo

8 responses so far ↓

  • 1 bargao_henriques // Dec 15, 2004 at 23:53

    Acho que me perdi no meio de tantos "gadgets" antes de acabar o segundo parágrafo… Ele é GPSrs às paletes, helicópteros, etc, etc… 😀

  • 2 MAntunes // Dec 16, 2004 at 00:16

    Será que temos Geocacher para colocar a primeira cache submarina em Portugal? Não é que eu pense em tentar encontrá-la mas hà por aí outros Geocachers que praticam mergulho e talvez houvesse interesse…

    Só estou a "provocar". 😉

  • 3 portelada // Dec 16, 2004 at 01:34

    Este "corcodilo" começou em bem !!! heheheh  com uma cache minha !!!  já gosto do homem !!! e tem uma piquena muito engraçada pela foto … isto anda tudo a "fabricar putos" no GC …. ai ai ai … se a Vera vê isto !!  hehehhe

    Bem vindo !!!  tantos gpsr´s …?? isso não faz mal ???

    Vai é la’meter uma cache aqui por perto …. tens é de ter em atenção aos gostos de certas "personagens" que ai andam ….. há com cada um !!!!

  • 4 portelada // Dec 16, 2004 at 01:39

    então …. és meu vizinho ?????   estava para aqui a cuscar os ultimos logs e …….
       http://www.geocaching.com/seek/log.aspx?LUID=766abf84-da39-47c8-8e61-5b933395ad67

    …. que vergonha …. not found ?????  como é possivel  ????  .. ainda  por cima és meu vizinho …. e andas-te na "minha" escola !!!!  ….  

    tou a brincar …. vai lá ver outra vez !!!!!   eu mora a 2.123 m da praia !! heheeh

  • 5 btrodrigues // Dec 16, 2004 at 09:45

    Boas!
    O Garmin GPS 12 também foi o primeiro GPS com o qual tive contacto. Grande tijolo! Os GPS são para ser assim! Grandes, resistentes, à prova de água e de choque! Com o vidro todo riscado! Eheheheh.

    Fiquei curioso quanto a esse artigo sobre o uso de GPS para uso aeronáutico. Há uns tempos, havia marcas que tinham a lata de lançar GPS para uso aeronáutico (mais caros) e GPS para uso geral (que não podiam ser usados em aeronáutica unicamente porque a velocidade máxima calculada eram limitada -por software- a uns 250Km/h) – é a isto que te vais referir ou há mais truques?

    um abraço.
    benvindo a esta comunidade

  • 6 Crocodilo // Dec 18, 2004 at 18:47

    Tenho o prazer de comunicar que, após vários anos, consegui arranjar o cabo para ligar este modelo ao PC. Fui logo fazer o update do software (tinha o 2.09, agora é o 2.90), e foram resolvidos dois defeitos: já tem uma página com informações solares e lunares (muito útil), e tem a opção de desligar aquele incómodo lock da posição à estrada mais próxima. Como bónus, vêm também icones novos para waypoints de geocaching.

    Fabuloso, o eMap recupera a minha confiança!

  • 7 Crocodilo // Dec 19, 2004 at 01:40

    Já agora… Consegui um cabo emprestado para o GPS 12 e passei do 4.53 para o 4.60. Mais uma função nova, o cálculo de áreas.

    Sempre a subir. O suporte da Garmin funciona bem, os updates são fáceis de descobrir e fazer, tudo cinco estrelas.

    Agora falta o cabo para o Foretrex, que já tem uma actualização à espera.

  • 8 Leonardo // Jul 26, 2010 at 23:03

    Estou a pensar em comprar um Foretrex 301 para meus passeios de moto TT. Este modelo possui boa capacidade para rotas? A tela é suficiente?

    Obrigado

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.232 seconds.