Expedição à Peneda – Relato

PauloJota - 2006/04/25

Depois de bem planeada, eis que nos fizemos à estrada, rumo a Arcos de Valdevez.
A nossa 1ª paragem foi no Castelo de Santa Cruz. A subida ao Castelo foi muito agradável e as vistas magníficas.
A cache foi relativamente fácil de encontrar.
Almoçamos nos Arcos, e siga para a Peneda. Depois de acomodados na nossa Casa-Retiro, sem luz eléctrica, fomos fazer o reconhecimento à Peneda e visitamos o Santuário, subindo todas as escadas. Facilmente descobrimos o acesso à Stairway. Este dia foi concluído com “acendimento” de lareira e preparação de lanternas para a noite.
No dia seguinte, depois de uma noite bem (mal) dormida, lá nos fizemos à escadaria natural em direcção aos céus. Uma bela caminhada, como já não nos lembrávamos de fazer. Com a chegada ao topo, após um retempero de forças junto à lagoa e um recarregar de baterias (mesmo) do PDA e GPS, logo seguimos caminho à procura do nosso destino: Stairway to Heaven. O caminho até lá foi sendo percorrido um pouco à Manuel Antunes (abordagem a direito), e lá encontrámos o local. A cache estava com alguma água no seu interior, que foi limpo e seco. Depois das trocas, fotos e assinatura de log, toca a comer de novo! Retemperadas as forças, iniciámos o caminho de volta. Parece que a descer custou mais, mas nada que umas sandes de presunto no café, não curassem. Depois de um merecido descanso e da pequena comemoração da nossa 70ª cache, ainda encontrámos forças para ir ao Castelo de Castro Laboreiro, fazer uma cache a estrear, pois ainda não tinha sido publicada quando saímos do Porto. Obrigado Rifkindsss. Já cá tínhamos andado à uns anos atrás, mas é bom ver que as coisas evoluíram. Gostamos imenso de (re)ver o local e o Castelo. Já era um pouco tarde, por isso recolhemos ao abrigo. Nessa noite é que foi dormir!!
No nosso último dia da expedição resolvemos por atacar logo de manhã, o “The Green Deep”, para aquecer os músculos, e de facto foi muito fácil de encontrar. De encontrar, mas de remover do local, é outra história. A caixa estava mesmo entalada no local! Lá tivemos nós de nos esforçar e assim abrir o apetite! Pronto, tivemos de ir almoçar!
Depois de um almoço retemperador em Castro Laboreiro, a ver o Castelo, avançamos em direcção ao “Rocky River”. Outro local de excepção. Paisagem magnífica, águas cristalinas e pontes muito bonitas. Se aquela era a Ponte Nova, como seria a antiga?
Continuando a viagem, lá seguimos para “A Fronteira de Baixo”. É incrível como aquele pedacinho de terra está em Espanha, não é? Muita vaca, muita cabra, muita galinha, agora pessoas? Não! Não se via vivalma! Fizemos o percurso até à cache e fizemos as tradicionais trocas. Ora estávamos em Portugal, ora estávamos em Espanha, tiramos umas fotos e fizemos o percurso de volta ao cachemobile. Este foi mais um local extremamente belo, que, se não fosse esta actividade, nunca teríamos conhecido.
Decidimos então terminar a Expedição colocando uma cache no Lindoso. Para lá chegar, fomos por Espanha, pois seria mais rápido e por melhores estradas. Assim foi. De facto nota-se a diferença na estrada quando se entra em Espanha. Estrada mais larga, asfalto melhor e rails de segurança! Feito o percurso até ao Lindoso, toca a comer de novo! Não se sabe fazer outra coisa! Exploramos o Castelo, e os arredores, muito bonitos, claro! (Haverá algum local que não seja bonito e que tenha uma cache? Eu nunca encontrei!). E deixámos a cache “Árvores”. Esta cache tem este título, também devido ao filme português “I’ll see you in my dreams”. E se quiserem saber mais façam o favor de o ver! EhEhEh!
E pronto toca a seguir para o Porto. Assim se deu por concluída esta Expedição à Peneda, realizada apenas pelo PauloJota Team, um pouco alargado. Fizemos um total de seis caches e colocamos uma, com uma taxa de sucesso de 100%. Fundamentalmente, foi um fim-de-semana muito divertido, com bom tempo, bem passado e bastante enriquecedor. Obrigado ao Geocaching. As caches que ficaram por fazer, ficam para a próxima! Lá voltaremos!

4 responses so far ↓

  • 1 bargao_henriques // Apr 25, 2006 at 21:46

    Que fixe…
    Conheço todos esses locais, por isso posso afiançar que são um espanto!
    A cache do Lindoso é muito bem merecida!
    Só ficou a faltar a do Soajo… 😀
    Parabéns pela aventura! 😉

  • 2 MAntunes // Apr 26, 2006 at 14:18

    …nesta cache devem ter feito é uma abordagem …à Claudio Cortez! 🙂 Eu portei-me benzinho e fui atrás do PH e do MCA pelos caminhos mais ou menos óbvios. Mas o Claudio, haviam de o ver a amarinhar pelos rochedos acima, em linha recta para a cache! 😉

    Quanto à Green Deep, também fiquei lá  preso e o PH quase que teve que me pegar ao colo para eu e libertar. Obrigado "papá" PH! 😉

  • 3 zoom_bee // Apr 26, 2006 at 22:40

    Ainda não foi desta que consegui o meu troféu de caça para pendurar na parede… 🙂

    Obrigado Paulo pelas visitas que fizeste às minhas caches.

    Quanto à Rocky River e a sua fantástica ponte "nova" para todos os interessados a "ponte velha" fica próximo do castelo, mesmo no "largo" da localidade, paralela á que está em uso actualmente.

    Acho que todos os que lá foram passaram ao lado dela.

    é a terceira:

    http://img.groundspeak.com/cache/407b8348-71d5-46be-bf3a-dc0dc1a04a90.jpg

  • 4 rob_geo // May 3, 2006 at 00:39

    Olá Paulo Jota,
    para a próxima tens de fazer a "Poulo da Seida" que fica bem perto da Peneda. Sem dúvida uma das caches que mais gostei de esconder, vale bem a pena o esforço…:)

    Em relação à Fronteira de Baixo, se não viste pessoas, aconselho-te a voltares lá no mês de Agosto… É só carros franceses, suiços, andorranos, etc… 🙂
    Enfim a triste realidade da ocupação sazonal, das aldeias daquela zona.

    GeoAbraços

    Roberto Esteves

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.334 seconds.