As boas maneiras de mal fazer

2 Cotas - 2003/10/27

(é possível que esta descrição inclua algum tipo de spoiling, mas faz parte da descrição, sorry), (mas é que inclui mesmo…)

Bem, quando vi a localização da “Loca do Gato” dei um salto.
Não foi bem de felicidade e só foi depois de alguns impropérios, mas que foi um salto é verdade. E que já andava de olho no sitio…
Aquela zona tem, que eu saiba, 4 cavernas devidamente "classificadas". A das Salemas, reservada pelo nosso amigo MAntunes, a do Tufo, também já reservada, a de Ponte de Lousa e  a Loca do Gato, que eu conhecia como a gruta do penedo dos Mouros, local onde os locais, (hummmm…), diziam que se podiam abrigar 120 cabeças de gado! Só se for em camadas…  
De maneira que quando o CCortez, pespega com uma cache logo ali, entre uma desculpa para lá ir e a antecipação, venha o diabo e escolha. Rasparta nunca mais ganho juízo…

Bem vamos lá a ver o que é que aqui está. Primeiro passamos cá em baixo na estrada e o bom do GPS armou um sorriso de botão a botão e apontou para o sitio que eu já conhecia! Esperteza! 150metros dizia ele. Parvo! Se a coisa estava a 272 como é que eram só 150 metros? Idiotices de GPS. Devia estar com os satélites trocados. Segundo sabia havia um caminho para lá, mas a & Company já se tinha aboletado no meu carro, de maneira que TT estava fora de questão.
Parque de estacionamento mesmo á beira e aqui vai disto, direito ao primeiro patamar, que por acaso era um campo de futebol.
Só um aparte, com a chuva que ameaçava qualquer tentativa de ir ver os afloramentos rochosos levaria, pelo menos, 2 divórcios, pelo que os resolvemos deixar em paz. Se lá estavam, lá ficaram. Aforamentos? Tens cada uma…

Passado o campo de futebol, seguimos pelo caminho fora, ate á perpendicular do ponto zero. Não foi estratégia nenhuma, foi preguiça de começar a subir mesmo…
Até que S. Eulália ficou á vista. Alguém achou que era altura de começar a subir. A primeira conferencia do divórcio é já amanhã.

Engrenamos a tracção ás quatro patas, a Virita teve mesmo que aplicar as redutoras e de tal maneira que na segunda só saiu da manicura três horas depois. Naquela subidita demoramos quase uma hora. Diz o outro marmelo que, ir e vir, dá para hora e meia. Deve ser deve…
Quando chegamos lá cima, o aparelhometro dizia qualquer coisa como 20 metros. Boa. Estávamos a 2 passos da parede. O leitor oficial, eu, bota os olhos no papel e diz do alto da sua sabedoria, “não é lá dentro, o papuço diz que é nas nas redondezas da gruta.”. Resta acrescentar que alem de leitor oficial, sou condutor oficial, GPS reader oficial, carregador de mochila oficial, animador oficial, etcetcetc. Alias já me perguntei a mim próprio, para que é que eu quero o resto da malta. Deve ser para não me sentir só… (sou oficial para tudo, menos nas divisas, aí sou mesmo praça…)

Damos a volta ao penhasco e amarinhamos lá para cima. “Boa vista, sim senhor!” Diz logo o outro armado em cão com pulgas, “…e encharcado? Vistaça…”.
Onde é que é o ponto zero? Aqui! Tens a certeza? Tenho, olha 11 satélites! Ena, engarrafamento! Ok, vamos a procurar.

5 manguelas, durante 3 horas num espacinho de 30 por 60 metros. Deu para bater o terreno em ondas, por quadrículas, por círculos, por motivos de interesse, por rochas, por arbustos, de toda a maneira e feitio. Só não batemos no Cláudio porque não demos com ele, porque senão também apanhava… Volta e meia andava um de GPS na mão ás voltas á procura do ponto zero. Invariavelmente vinha parar ao mesmo sitio com ar de aselha. Às tantas diz um: “….êhpá, altitude? E se for…” desata tudo a correr para a parte de baixo do penhasco e entram de roldão na gruta, uns pela porta principal outros pela de serviço. Cavaram tudo, viraram as pedras todas, entraram em todas as cavidades, até os tintins do morcegos eles apalparam! Nada! Voltam para cima.

Chegaram lá e como não podia deixar de ser, toca a mirar o GPS outra vez. Pergunta  a Nela: “Já mudaste a antena?” Estive vai não vai para lhe perguntar cá umas coisas, mas achei que a pobre moça só estava a querer ajudar, pormenores pessoais mais íntimos não era práli chamados. “Já mudei, já!”. “E se fosses ver as dicas?”, “bora…”
272 metros de altura, qual é a altura a que estamos? 264 metros, bem… onde é que há um sitio com 272 metros de altura? Demos com o local…. a 30 metros do ponto zero. E tinha que segurar o GPS á altura do peito. “Ái é aqui!?!?!?!?….” peráí que eu já te fo$$$#$#$do! Dou de caras com o Marinho pendurado num pau a tentar rolar o “padragulho” para o lado! “tu tá quieto pá… olha que ainda te magoas”, “trápáscatrapum!” Ficou com dois paus…

Nesta altura está o Tóbê agoirar. “Êhpá vamos embora, não encontramos e já tou farto.” Por falar nisso, também já estou a ficar farto. “Vamos fazer uma ultima tentativa e depois ála, ok?, támapetecer uma imperial”. Não há melhor que falar-lhes ao coração… “Cada um escolhe um rochedo e não desiste enquanto não vir todos os buraquinhos.” Qual buraquinho qual buraquinha…
Demos mais uma volta, desde a estrada nova de acesso ao parque eólico até a borda do penhasco, desde a passagem para o cimo do penhasco até ao rochedo mais alto que lá havia, népia, néribéri, niente, nathin, nada, nipe, etcetcetc…

Andamos nisto desde a uma hora, até ás cinco, o que para quem queria despachar a cache antes de almoço, até nem tá mal! Caraças pá, dizes tu que é uma cache de dificuldade 2! Vai-te lixar, quando for de tipo 3 ou 4 quero ver! A classificação vai até 5, supõe-se que é para utilizar toda e não ficar só pelos 2 primeiros índices. Pelo teu ponto de vista, índice1 é para encontrar, 2 é para esquecer… Cá para mim se não for 5,25 é pelo menos 4,75. Reclassifica lá isso, sim?

13 responses so far ↓

  • 1 MAntunes // Oct 27, 2003 at 17:38

    Prefiro que o Diamantino não encontre as caches!!! Os textos das histórias ficam, indibutavelmente, mais coloridos  😉

  • 2 Rechena // Oct 27, 2003 at 17:43

    diz-se que nao se deve rir do mal dos outros, mas sou obrigado a concordar com o Mantunes…

    enfim, boa sorte para a proxima… sabado la estaremos para ver se a encontramos… 😉

  • 3 Lobo Astuto // Oct 28, 2003 at 09:35

    Depoois de uma análise exaustiva (2 min.) e utilização do método cientifico, parece-me que o problema não está no caçador, mas sim na "arma"!
    Mas pelo sim pelo não, é melhor não trocar de "arma", porque assim sempre temos direito a umas estórias muito boas.
    Uma pequena sugestão: que tal lançar umas estórias em versão banda desenhada?
    Um pouco na onda de http://www.userfriendly.org mas na versão Geocaching! 🙂

  • 4 Rechena // Oct 28, 2003 at 11:59

    E temos artista ??

    a ideia é excelente…

  • 5 bargao_henriques // Oct 29, 2003 at 09:24

    Bem, grande aventura! Até já estou com medo de tentar encontrar esta cache… E que grande descrição, Diamantino, bem fixe! (sei que a procura não foi lá muito fixe, mas a decrição está de morrer!)
    A hipótese da banda desenhada é interessantíssima! Óh Nuno, se quiseres ajudo-te a afiar  os lápis, mas para o desenho não tenho jeitinho nenhum…:D

  • 6 Lobo Astuto // Oct 29, 2003 at 10:11

    Podes ajudar, eu deixo. Agora, a afiar o lápis… hmmm é preciso ter cuidado 🙂

  • 7 DSAzevedo // Oct 29, 2003 at 13:02

    éhhh… é mesmo como diz o Pedro, escusas de te preocupar, eu cá afio os meus próprios lápis!
    Para o desenho, bem… como não tenho grande jeiteira, é mais bolos…
    Posso começar a por é umas fotos, mas o Rechena vái aos arames, entupo-lhe o servidor todo, há-de deitar jpgues pelo orifício das disquetes.

  • 8 Lobo Astuto // Oct 29, 2003 at 14:25

    Sempre se pode fazer uma fotonovela com as ditas fotos 🙂
    Acrecentam-se umas legendas, uma fotomontagem aqui outra ali e voilá!

  • 9 Rechena // Oct 29, 2003 at 15:35

    diamantino estas a vontade no que respeita as fotografias, por equanto nao temos problemas de espaço… quando tivermos eu aviso… por isso manda vir fotos 😉

  • 10 David Felix // Nov 2, 2003 at 23:43

     Não entendo se "As boas maneiras de mal fazer" são apontadas ao autor da cache… ou á falta de jeito de quem a procurou naquele dia!

     De qualquer forma, para tirar as teimas decidi ir lá ver com os meus proprios olhos.

     Foram 15 minutos a lá chegar. 15 a procurar… e 15 para ir embora!

     Notei que o GPS se atrapalhava um pouco no local. Ou seja, no topo dos rochedos obtia uma leitura ligeiramente diferente da zona da gruta. (Talvez porque no topo apanhava satélites de todas as direcções obtendo uma triangulação diferente do local da gruta onde os satélites a sul estavam tapados.)

      Procurei, procurei e lá estava!

     Sinceramente não encontrei motivos para tremenda telenovela! A cache não está enterrada nem escondida pela vegetação…  Muito pelo contrário: É um tupperware de tampa amarela bem visivel até!

     Para tirar teimas, coloquei mesmo o GPS a 2-3 palmos da cache… A leitura era de 2 metros e erro de 1! Sinceramente acho mais que aceitável!!

     Gostei muito da cache, e não achei nada dificil…

  • 11 DSAzevedo // Nov 3, 2003 at 10:59

    Acabei de enviar ao Cláudio um mail, que não reproduzo aqui, mas que ele poderá fazer.
    De seguida vou reduzir as minhas descrições ao mínimo, na tentativa de reduzir eventuais danos a terceiros mais sensíveis ao divertimento dos outros.

    As minhas desculpas.

  • 12 Rechena // Nov 3, 2003 at 11:30

    Vivam, quando este site foi criado o mesmo foi com o intuito de reunir todos os geocachers de Portugal num sitio, apenas como foi referido no inico, um complemento ao grupo de geocaching do yahoo…

    bem o que eu quero dizer e que todos sao livres de publicar neste site na pagina principal artigos sobre assuntos como novos firmwares eventos e entre outras coisas, o nosso amigo Mantunes sugeriu que se usasse o site para publicar as aventuras em portugues.
    E assim foi todos começaram a publicar as aventuras uma mais divertidas outras mais tristes, enfim a vida e mesmo assim…

    Todos sao livres de ler, escrever, comentar e sugerir novas coisas…

    Nao é pretendido que alguem se chateie com alguem, estamos a falar de um jogo que é suposto ser divertido e nao uma coisa seria, tudo passa por umas vezes encontra-se outras nao, e outras nem sequer la esta nada 😉 enfim..

    Divirtam-se…

    Um abraço

    rech

  • 13 David Felix // Nov 3, 2003 at 13:29

    (take II.. o outro saiu cortad)

    Diamantino,

     Os "terceiros mais sensíveis ao divertimento dos outros" era comigo?

     Presumo que sim, e muito sinceramente, acho que deverias tentar reduzir os danos era a ti proprio!
     Foste tu próprio a referir que não deste lá o salto "de felicidade". E o comentário, só faz transparecer sentimentos diferentes de diversão…  Mas esse é um assunto que não me interessa nem diz respeito!

     Li o teu comentário como os outros membros….
     Fiquei curioso com a dificuldade e decidi ir caçar esta cache!
     Fui lá e quando voltei, comentei o teu artigo desportivamente. Partilhei a minha opinião e a minha experiencia, pois julgava-me livre de tal.

     Posso ter discordado do titulo e da TUA conclusão, mas nunca houve qualquer intenção de provocar ou demonstrar hostilidade!

     Como o Rachena afirma, isto é um jogo que é suposto ser divertido.
     Pessoalmente, não o encaro de forma competitiva e é por isso que tenho poucas caches encontradas! Não ando aqui para "marcar pontos" nem para afirmar que fulano é melhor ou pior!

    David

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.322 seconds.