“Comissão Europeia acredita que projecto de navegação satélite europeu é inviável”

- 2007/05/11
 Lisboa, 07 Mai (Lusa)
A Comissão Europeia (CE) afirmou hoje que o actual plano para pôr em marcha o sistema europeu de navegação por satélite Galileu “poderá não funcionar” e acredita ser necessário esboçar de novo o projecto.
Esta é a convicção do porta-voz dos Transportes da Comunidade Europeia, Michele Cercone, tornada pública dois dias antes de terminar o prazo dado às oito empresas do consórcio encarregue de desenvolver o sistema para superarem as desavenças e desbloquearem o projecto que dotaria a Europa do seu próprio sistema de navegação por satélite.


As dúvidas sobre a rentabilidade do projecto, surgidas no seio do consórcio, ameaçam retardar o desenvolvimento do Galileu para além de 2013, ano em que deveria estar totalmente operativa a rede de 30 satélites que compõe o sistema.
Por este motivo, no passado mês de Março, a Comissão Europeia deu um prazo de dois meses, até 10 de Maio, para o consórcio encarregue do projecto superar o impasse nos trabalhos do sistema de navegação europeu.
“Dois dias antes de terminar o prazo dado às empresas do consórcio, consideramos que o actual cenário poderá não resultar” – afirmou Cercone.
O porta-voz recordou que após conhecer a resposta do consórcio, o Comissário dos Transportes, Jacques Barrot, apresentará à Comissão Europeia poucos dias depois, a 16 de Maio, a sua análise sobre a situação e as possíveis alternativas para relançar o projecto.
“Sem prejudicar o resultado da primeira reunião de comissários, constatamos que é necessário voltar a analisar o projecto para gerir melhor o calendário e obter a melhor rentabilidade do financiamento”, disse Cercone.
Em conferência de imprensa paralela à da Comissão Europeia, o ministro dos Transportes alemão, que preside este semestre ao Conselho da União Europeia neste domínio, Wolfgang Tienfensee, reconheceu que não há grandes esperanças de alcançar, actualmente, algum resultado nas negociações com o consórcio.
Tienfensee afirmou que no actual debate para relançar o projecto se baralha uma combinação de capital público e privado.
Com esta combinação, a participação do capital público quer concentrar-se na fase de desenvolvimento da rede de satélites e a iniciativa privada na fase operativa posterior do sistema.
A presidência alemã da União Europeia fixa como prazo a reunião do próximo mês de Junho dos ministros do transporte dos 27 para obter um acordo que relance o Galileu.
Tienfensee recordou que se trata do “projecto tecnológico mais importante” para a União Europeia e enfatizou que o Galileu, além de ter uma finalidade civil é “absolutamente necessário” para que a Europa não dependa do sistema norte-americano GPS (de origem militar) em domínios “tão cruciais” como o transporte aéreo, marítimo e terrestre.
O ministro alemão afirmou que o objectivo é começar tão rápido quanto possível o desenvolvimento da rede de satélites para ser capaz de manter o ambicioso plano para completar a operação em 2012, cumprindo assim os prazos marcados.
MZC.

3 responses so far ↓

  • 1 btrodrigues // May 14, 2007 at 22:25

    Para além do facto de estarmos a viver algum período de estabilidade no que toca a conflitos armados (à excepção do médio oriente e de algumas tensões com a coreia e alguns focos de porrada aqui e ali), os estados unidos até andam sogaditos e arranjar uma querela com um país europeu é um “probabilisticamente zero”.

    Armar um sistema de posicionamento satélite civil para concorrer com um sistema militar norte-americano serviria só para precaver uma possível situação em que o tio sam tivesse que desligar a ficha aos satélites por uns tempos. Ou efectivamente melhorar a precisão do sistema existente (I Want to Believe). Ou para marcar posição (mas porquê? raios parta se percebo os políticos). Mas sempre para uso civil, porque os militares não confiam em ninguém e não querem saber de GPS para nada – americano ou europeu.

    No fundo, é dinheiro de fundos europeus que seria melhor utilizado (IMHO) cá em baixo. Mas é pena. Conheço pessoas que estiveram (estão ainda) a trabalhar em empresas envolvidas e que levantaram um bocadinho do véu das aplicações civis que estavam a preparar. Coisas incríveis, daquelas que pensamos “como é que ainda ninguém usa isto?”. Lá está, porque é um sistema militar americano e a componente para uso civil está sujeita aos caprichos de alguém do lado de lá. Não fosse o povo americano tão “limitado” e estaríamos todos muito melhor…

    Tou-me a esticar… Os gajos andam aí… Que barulho é este? Parece que me estão a tentar arrombar a porta de casa… Acho que fiquei sem electricidade em casa… E sem intern…

    NO CARRIER

  • 2 danieloliveira // May 15, 2007 at 09:04

    BT! It was nice knowing you….. ;D ;D ;D ;D ;D

  • 3 MAntunes // Jul 17, 2007 at 14:09

    [quote]”The US and EU are in talks to allow their separate GPS systems to work together. The future uses would allow enhanced location information based on two readings, among other benefits. ‘The market probably will drive dual-use receivers. We think probably that single (U.S.) GPS-specific, or Galileo-specific receivers — the market will phase out in time […] It just doesn’t make sense to limit yourself to just one system’.”
    [/quote]

    Mais detalhes [url=http://www.reuters.com/article/scienceNews/idUSL1674424620070716]aqui[/url].

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 34 queries in 0.095 seconds.