Arraiolos

2 Cotas - 2003/11/07

… ou a historia de um tapete!

Não sei como, mas a “maria” aceitou fazer um ror de Km para ir ás caches do Manel. Cheirou-lhe a almoço fora, de certeza.

Tralha no carro e vamos de convocar o resto da maralha. Népia! Quando conseguiram despegar os olhos lá no choco e lhes cheirou a chuva: “… ná, hoje não me apetece, fica prá manhã…”. Isto a um domingo, tão a ver né?
Não me ralei nada, mesmo nada, aqui para nós, as melhores caches são as que eu e a “maria” afiambramos sozinhos. (por falar em afiambrar… não foi nada que eu não me tivesse já lembrado! Um dia destes…).

“Então, qual é esta?”, “Sei lá, nunca lá fui!”, e rapidamente mostrei-lhe os papeis, não fosse ela perceber o que eu tinha dito. Com mulheres nunca se sabe, o melhor é jogar pelo seguro. “E esta. Tá lá?”, “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO” “CENSURADO”, “CENSURADO”, “Ok e almoçamos por lá perto, tábem?”

A meio do caminho, já perto de Montemor, telefonam os outros: “êhpá, afinal também vamos”. Deve ser, deve, para onde vão não sei, mas para Arraiolos não é de certeza. Ainda lhes sugeri que viessem ter connosco ao restaurante. Tá bem abelha! “Volta para trás para nos vires buscar!”

Chegados a Arraiolos, fomos á procura de restaurante. Demos com um com uma vista bonita sobre a Cidade. Italiano. Comida alentejana feita por um italiano. Tortellini de cação, pizza de migas, espaguete com amêijoas á alentejana. Mas, vendo bem até nem foi mau, só gastamos muito UltraLevure durante a semana.

Depois do almoço cache com eles. Uma multi á manel. Pode ser que não seja nada, mas íamos preparados para o pior. Tinha levado duas calculadoras, o palm e o portatil,  dois blocos, uns lápis, canetas e dinheiro, não fosse necessário comprar mais. Não foi preciso! Depois de levar na cabeça, de o chatearmos contenciosamente, de devidamente industriado, o homem até se portou benzinho. Tenho cá a impressão que se mantivermos a pressão, a próxima que ele fizer vai ser entregue porta a porta.

Mas continua a saga dos pontos zero. Se não tiverem cuidado molham-se todos para encontrar a primeira dica. A segunda está num sitio que arrepia, eu não ia lá á noite. Manda contar degraus num sitio mais liso que a minha carteira a partir do dia 10. A ultima diz que a cache tá a não sei quantos metros do ponto, (Olha que caraças! Então porque é que não a pôs lá?). E por fim o taparuere foi atacado pelos caracóis. Caracoletas, mas precisamente. E das Turbo. Eu dei com o saquelho quando o vi passar a meu lado. Até pensei que era o vento. Qualquê. Parecia um ralie. Juro que vi a da frente a fazer slide…

Abrimos a coisa e salta lá de dentro um tapete. Um tapete! Leram bem! O nosso amigo a falar em tapetes de Arraiolos, patátipatátá e pespega lá dentro com um! Eu até estava á espera que fosse uma pega dos tachos, assim como assim mais pega menos pega até já me ia habituando. Mas não, era mesmo um tapete. Só dá para a casa da Barbie, mas não faz mal o que conta é a intenção. Também, se fosse maior as caracoletas não podiam movimentar a cache tão depressa.

Abifalhei o RAM card, afinal até nem gosto de Barbies, (das pequenas!), e tinha sido para isso que eu lá tinha ido. Bem, a “maria” pensa que foi pelo prazer de ser o primeiro a fazer uma cache, mas não…

La do alto ainda assistimos ao resto do desafio entre o BotaFogo e o DeixArder, enquanto escolhia contenciosamente, como é meu apanágio, os porta chaves com que iria premiar a cache. Deixei a “maria” fazer o log, porque decidi deixar de escrever parvoeiras, de ora em diante vou-me começar-me a dedicar-me á escrita-me seria-me. Comei a tomar notas para escrever um livro: O GEOCACHING NO CONTROLE DE PERSONALIDADES AGRESSIVAS – Contribuições para o estudo de um problema insolúvel.

Chegamos bem e o tapete dá um geitasso na cozinha.

3 responses so far ↓

  • 1 MAntunes // Nov 7, 2003 at 19:40

    …trouxeste o CF Card… coitado… não tem grande esperança de vida…

  • 2 cds_t2 // Nov 9, 2003 at 22:05

    Diamantino,não desperdices a oportunidade, olha que o tapete tem "poderes mágicos". Esfrega-o bem… e formula um desejo… vais ver que dás com a "Loca do Gato"….

  • 3 DSAzevedo // Nov 10, 2003 at 10:29

    Ná… não é por nada, mas vou deixar a Loca do gato para o final Quando não houver mais nenhuma, faço essa.

    Fico á espera de cenas do proximo capitulo.

    bye

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 35 queries in 0.186 seconds.