afelizardo found Aqueduto da Ribeira de Santa Catarina

afelizardo - 2013/09/29

Este log ganhou o concurso de melhores logs de Agosto de 2013.

02_ecc6ec4aafdd44968f3fb17616528ccb_P8112758Como tinha escrito na write note anterior este é um local conhecido, mas que há mais de 20 anos que aqui não passava, e curiosamente passei lá poucos dias antes de a cache sair, o mais certo era já lá estar.

Só que isto fez-me recuar uns bons anos no tempo, e afinal depois de abrir o baú das memórias vi que não eram 20, mas sim bem mais.

Conheci este local devia ter uns 12/13 anos, e este passou a ser era um dos locais favoritos de brincadeiras. Nessa altura não existiam Play Stations, nem internet, e até a televisão se limitava a dois canais a preto e branco. Desenhos animados, bem davam, uns dos países de Leste apresentados pelo Vasco Granja, mas que para os miúdos daquela idade o interesse era pouco ou nenhum já que não compreendíamos as mensagens politicas que os mesmos muitas vezes tinham escondidas.

Assim era muito natural passar-se a maior parte do tempo em brincadeiras ao ar livre do que fechados em casa como a grande maioria dos miúdos de hoje em dia.

Esses factos devem ter tido alguma influência até aos dias de hoje, já que contrariando a maioria das pessoas, prefiro uma tarde no meio do mato, a cheirar as plantas e a ouvir os pássaros, do que fechado num centro comercial onde apenas se pode cheirar a comida de plástico e ouvir a música ambiente, por norma de gosto duvidoso.

Nessa altura este local era bem diferente.

04_1244b31bc66e4e5fbf85c0a8d38243cb_P8112773
05_404b3922a769461d9d6f3c0b51505877_P811277606_28efa7c405324c28b187f7d0774ac826_P8112778

Não existia por aqui a barragem, e a ribeira corria livre no curso, bem diferente do atual.

Não tinha qualquer vestígio de poluição, e o seu caudal era bem maior.

Eu e os outros da minha idade conhecíamos de cor todos os pegos quer para montante quer para jusante, onde aproveitavámos para pescar e tomar banho no verão.

Um dos locais favoritos era mesmo este onde se encontra a cache, porque tem uma pequena queda de água que dificultava o arribar das Bogas, ficando na pequena lagoa à mercê dos pescadores. Antes da barragem e mais tarde das obras da piscina e do futuro restaurante, existia aqui uma grande barreira, na margem esquerda, praticamente na vertical, que deveria ter uns bons 15 metros de altura.

03_a2e3b29d35f8443ebfe7222993f46b28_P8112768

A meio dessa barreia existia um estreito carreiro, por onde os mais afoutos passavam para o aqueduto. Essa barreira era de terra, tipo saibro, onde várias vezes com a ajuda de pau afiado ou uma pedra com bico escrevíamos o nosso nome. Claro que passados poucos dias alguém apagava e escrevia o seu, pelo que lá tínhamos de voltar a repetir tudo.

Muitas vezes ali escrevi o meu nome.

Mais no topo dessa barreira existia uma colónia de abelharucos que assistiam tranquilamente a tudo isto, sabendo que ali não lhe chegávamos aos ninhos, outra das brincadeiras favoritas da altura.

No inverno, com a subida das águas, era impossível atravessar por dentro do aqueduto, mas atravessando a linha ( mais acima existia uma passagem de nível ), era possível chegar até ao local onde está a cache. Era também por aqui que íamos mais para baixo, onde esta ribeira se encontra com a ribeira da Atalaia, outro bom local de pescarias. Ou ainda mais para baixo até ao açude (visit link) onde um pescador muito conhecido nessa altura no Entroncamento, não só por ser de raça negra , mas também por ter sido o dono do primeiro supermercado existente na então vila do Entroncamento.

Na altura ele já possuía uma cana telescópica com cerca de 10 metros, coisa banal hoje em dia, mas muito rara na altura, muito mais rara para nós que usávamos canas da maracha, com boias de cortiça feitas por nós e fio, como se costuma dizer Zero grosso, mesmo assim conseguíamos apanhar muito peixe. Muita coisa mudou entretanto, umas para melhor, o parque do bonito, está mesmo bonito, as piscinas e o todo o complexo desportivo aqui à volta.

Infelizmente também outras para pior, a ribeira praticamente não tem água e a pouca que corre não é lá muito limpa, peixe e acessos às margens das ribeiras é coisa que já não existe.

A primeira abordagem à cache foi antes de almoço, quando íamos a entrar no aqueduto vimos 2 pescadores pelo que voltámos mais tarde. Agora sim com o local deserto a cache não demorou muito a aparecer.

Container engraçado e adequado ao local, não só mesmo ao local onde está a cache, mas à cidade em geral, é diz-se que os …. Afastam os ………, e isso é coisa que existe muito no Entroncamento.

Esta cache serve também para uma saudável guerracom o owner por causa de ribeiras, mas isso é discussão para outro local.

Muito obrigado ao owner por me fazer recordar estes tempos, motivo mais que suficiente para dar um favorito a esta cache.

Feita em família, tazadormir, migas2000 e patita07.

01_84b0898280ee4389af6d814aea28d7a2_P8112764

TFTC

 

 

0 responses so far ↓

  • There are no comments yet...

Leave a Comment


Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 33 queries in 0.202 seconds.