Entries from May 2004

GeoBTT em Sintra ou os colapsos…

MAntunes - 2004/05/22

Algures na IC19 envio SMS ao Portelada a dizer "Estou a caminho!". Após alguma logística difícil para conciliar compromissos familiares lá fui experimentar uma caçada conjunta em BTT porque o início do percurso proposto para hoje parecia estar ao meu alcance.

Chegado ao local, lá estava o Miguel com um "carregamento" de pneus de terra para quem precisasse.

Pouco depois, apareceu o Portelada, o Nuno e, como o Rui tardava em aparecer, o David resolveu "simular" um furo para nos entreter enquanto o outro não aparecia… Simular não, era mesmo um furo… começava bem a caçada,

Entretanto, eu apreciava o "GPSr" do Nuno. Boa "malha", sim senhor,

Pouco depois lá apareceu o Rui e após resolvido o furo, iniciámos o passeio em direcção à "Campo Verde". Como eu sou um praticante esporádico de BTTr (r=rectas, de preferência a descer mas não muito), as minhas dificuldades começaram a aparecer: a corrente a saltar das rodas, eu a saltar da bicileta… nada de grave… estávamos em ritmo de passeio e o Rui entretinha-se a subir e descer montes enquanto o portelada "simulava" mais uns furos só para esperar por mim,

Muito simpático este moço. Escusava era de exagerar…

…exagerar…

Deve ter "tido" alguns 35 furos enquanto eu saltei da bicla umas 4 ou 5 vezes e a corrente saltou outras tantas…

Mas, o meu momento de "glória" foi quando ele perdeu o pipo da roda e como não o encontravam e já estavam a desistir, eu disse-lhes que aquilo era como procurar uma "micro"… só que mais micro ainda. Olhei para o chão e lá estava o pipo!

Bom, mas em ritmo "veloz e escorreito" lá chegámos ao local e após recuperar o fôlego, o pessoal começou a procurar a cache que é mais micro que uma regular mas não é micro, antes regular.

Aqui, o Nuno deu "show" porque conseguiu encontrar a sua primeira cache sem recurso ao GPSr.

Enquanto eu explicava ao Miguel como é que se procura uma micro,

(anda-se assim e círculos e em círculos e em círculos…)

Feitos os logs e "recauchutada" a cache com mais algum conteúdo do que os porta-chaves do Diamantino (com tanto furo, o Portelada não consegue poupar uns trocos para abastecer as caches) começámos a preparar o ataque à "O Lugar dos Mortos".

Segui-mos em direcção à estrada N91 e, pelo caminho, enquanto eu me esforçava por não desmaiar em cima da bicla ia ouvindo "provocações" tais como; "Olha ali aquele vale tão bonito, não queres tirar umas fotos?" (E a embalagem?!! Vou perder a embalagem?…) ou então "A gaja já tem cão?" (não devem estar a falar do Snoopy…) ou ainda "Játás com a visão afunilada!" (ai o caraças…). Até que chegámos à estrada asfaltada, após um vertiginosa descida por onde o Diamantino subiu agarrado a uma bem parecida companheira de caminhadas e onde o Rui queria matar-me fazendo pressão atrás de mim para eu rolar mais depressa por ali abaixo…

Já na EN e receando que os furos do Portelada continuassem, decidi "sacrificar-me". Assim, voltei para onde estavam as viaturas, preparei o "Carro de Apoio" e fui ter com eles ao Alto do Monge.

(era preciso garantir que havia uma bicla em boas condições de utilização, mesmo que fosse um "bicla de supermercado"…)

Agora, outro que conte o que se passou na subida até ao Alto do Monge porque eu ia aborrecido e contrariado, ao volante do meu carro, com o ar condicionado ligado, a Britney Spears a cantar… o que eu não faço para dar uma ajudinha aos amigos…

Aqui ficam as fotos:

(Nuno e Rui com opiniões divergentes quanto à localização da cache)

(Portelada: Nem eles encontram a cache nem nós almoçamos…)

Até que, finalmente, chegou a hora da FOTO FINAL.


Pré História do GC

portelada - 2004/05/21

Aproveitei uma ida a Portalegre em trabalho para fazer esta cache !!! foi toda realizada em contra-relógio, em cerca de 1:30, é verdade, aqueles estradões tornaram-se numa autêntica pista de Rally !!!
Adorei as formas originais das caches, excelente ideia, algumas estão um pouco expostas, mas estão lá todas !!!
È òptimo para quem quer conhecer um pouco da história mais antiga daquela zona e ver paisagens deslumbrantes!!!
Para ser mais rápido, fiz as caches noutra ordem …
MultiCache 2 – Foi a primeira, pois vinha da A6, o acesso é fácil, e a paisagem para a represa muito agradável !! tive 5 min á procura e lá a achei, a cerca de 15 metros do ponto que me dava o gps com erro de 5! a cache esta originalmente concebida! Qualquer dia, temos de ir á junta de freguesia buscar as chaves !!! LOL

MultiCache 3 – Começam os estradões de terra, o micra alugado (há pois) foge de ladecos a cada curva, salta nos buracos …… haaaaaa ….carros alugados …., ao chegar perto da cache ainda deu para encher os lençois de uma senhora cheios de pó( não era a minha ideia, foi mesmo sem querer). Procurei ,procurei, procurei…. e depois lá a vi !!! com um lagarto ao lado AAARRRRHHHHHH

MultiCache 4 – Uma das mais bonitas, aquele menir é mesmo monumental !!! foi onde fiquei mais tempo a ver, a cache estava bastante exposta, talvez por isso já não tivesse logbook, assinei na folha das intruções!!! Mais 3 kg de pó em cima do Micra

MultiCache 1 – Deixei-a para o fim porque ficava a caminho de Portalegre, é a mais fraquinha em questão de conteúdo, mas é onde o pessoal deixa as prendinhas (estava cheia) !!!
Custou a achar, recentemente colocaram um arame farpado, o que dificulta o acesso á cache !!!

Vale mesmo a pena ir fazer esta cache com tempo, é muito bonito o enquadramento paisagistico, aconselho a passarem o fim de semana no Marvão, um dia fazem a cache e no outro um dos excelentes percursos pedestres existentes!!!


Grinefilde

2 Cotas - 2004/05/18

Razão tinha o rapaz quando disse que se podiam ver cavalos e outras espécies animais na cache dele.
Assim por alto vi umas largas dezenas de cavalos, mais umas quantas bestas e um cão. Alem de uma família e a Sóninha de bofes de fora.

Começando pelo principio.
Já tinha alinhavado a mira para o Green Field. Irritam-me que venham por caches á minha porta e só me dizerem depois… Ainda pensei em alargar a definição de caminho habitual, ou de inventar um pequeno almoço especial num fim de semana. Mas achei que não precisava de desculpas. Alem disso tinha uns cunhados, outros, que me tinham pedido para os levar numa caçada.
A Virita estava de serviço, eu tinha ficado de a ir lá buscar e os pobres moços andavam a falar em ir á praia. Parvoeira, vamos lá por ordem nisto.
Peguei no papel e mirei as informações disponíveis. Dificuldade 2? Terreno 3,5? Mau! Só tenho 1 hora e 3 quartos para sair de casa e aparecer lá no bulimento antes de ter que inventar uma desculpa plausível… Ná… ele não era capaz…. isto deve querer dizer 35 minutos e não 3,5horas… a ver vamos.

Mala no carro, carro ándar e vamos lá a ver onde é. Dar com o inicio do tal caminho proibido patatipatata, foi fácil, agora dar com a porcaria do sinal que amaçava com a excomunhão eterna é que foi impossível. No final, aquilo é mais frequentado que a …….. Joana. Quando eu já ia todo lampeiro a subir a ladeira, oiço os gritos lá do banco de trás e lembro-me subitamente: Não posso fazer isto! Parque Natural! Que é que os moços iam pensar de mim. Encostei o carrito lá no caminho e olhei para o relógio: 18 horas…

-Bem meninos, a cena é esta: temos 30 minutos para andar 1000 metros ida e volta. Exactamente 15 segundos para encontrar o taparuere. 5 segundos para escrever umas tretas quaisquer e mais 30 minutos para estar á porta da Farmácia. Não! Não é para comprar pensos… Senão aturas tu a tua irmã!
Deu resultado.

Então já vão ver. Toca a esgalhar por ali acima. Ainda não tínhamos chegado a primeira curva, já a Sóninha ia a refilar. Eu e Né, começamos a divagar sobre “animais do bosque” e as reclamações esfumaram-se, alem do grupo passar a ser mais compacto… Psicologias…

A meio do caminho, encontramos uma família que por ali passeava. Como por milagre a conversa dos “animais do bosque” deu lugar a “ruído de fundo”. Alias era mais “ruído lá de trás”. – Vão muito depressa, já tenho pedras nos chinelos, ainda falta muito, e se viéssemos cá amanhã, quero fazer chichi…

Chegados ao alto do monte, no tal lugar onde as arvores são substituídas pela mancha verde, aparece um cão, com ar foleiro. Um cão a ladrar no alto de um monte é sinal de sarilho pela certa. Mas não. Era cão de apartamento, só estava a enfeitar. Mais adiante uma senhora. Mas ao contrário do cão, nem enfeitar enfeitava… Tinha o cabelo pintado de vermelho e estava a pendurar roupa nas traseiras de uma Movano de campismo. Confesso que não fui ver de quantos cavalos era aquele modelo, mas seriam umas dezenas…

Mais abaixo, uns tipos encavalitados em cima dumas moto4s. Parados, com os motores a funcionar e alegremente contando tretas uns aos outros. Sim, com aquele barulho nada do que dissessem era percebido, pelo que sendo ou não mentira era igual.

Agora é que começou a parte engraçada. A estrada passou a ser de calhaus e soltos, pelo que qualquer velocidade acima dos 2 passos por hora era praticamente como andar de patins. Ainda assim foi bom. A Sóninha lá teve que se calar para não cair. Já tava a ficar farto da mesma lengalenga… dói-me aqui, já estraguei o fio dental, tenho uma unha encravada, que horas são… Ah, era a descer, o que acrescentava ao divertimento. O pobre do GPS ainda não tinha feito das dele, de tão farto de ouvir reclamar. Mas portou-se bem, nem piou. Acho que tenho que os convidar mais vezes…

Por fim lá chegamos ao local. E mais umas duzias deles debaixo de uma arvore. Eu não os contei, mas eram muitos a julgar pelo cagarim. E sempre o mesmo cenário. Moto4s a trabalhar, naquele som esganiçado de quem se está rir e tem gazes e os condutores na palheta. Deve ser pró sniff.

A cache é fácil de encontrar. E… a cache é micro, isto é… é uma cache normal, mas tem escrito “micro”. Das duas uma: ou é para eu não me baldar, ou então é estratégia para me convencer que as micros são fáceis…

Aqui começou um pequeno interlúdio. Apareceu por ali uma pobre duma osga. Eu disse pobre, não disse pequena, porque se a riqueza se medisse pelo tamanho, cuidado… E quem é que dizia aos pequenos para irem lá buscar o taparuere? Muito depois de a osga se ter baldado, ainda a gritaria se ouvia. Mas lá se acalmaram.

Logues para cá, porta-chaves para lá, taparuere pró sitio dele, e vai de acelerar por ali acima.  Imaginem, o pessoal para baixo vem de patins, e para cima? Aquela teoria do passo atras para dar dois em frente foi rescrita. Dois passos para trás e um para a frente. Cheguei a pensar pedir ajuda…. Mas lá nos safêmos!

Teve piada, os miúdos gostaram e acabamos por chegar a horas á Virita.

Áhhh a cache tb não é má… e o passeio o foi giro. Só não percebi a cena da mola da roupa!


Mexicanada á Tuga !!!

portelada - 2004/05/14

Mais uma reunião na já muito mal afamada Mexicana,  antro de sequeadores de caches e higienizadores florestais !!!
Ao chegar-mos, o empregado fez aquele olhar apavorado"- hó não, eles reproduzem-se!!!" ,pensou ele, enquanto tentava esconder todos os seus taparueweres.
Já lá estava a nata salteadora, o terrivel MAntunes estilista e esposa, o PH neutro, … (continua,tenho sono)


A chapela de belem!

2 Cotas - 2004/05/13

Estou a ficar seriamente preocupado.
Ou é da minha vista, ou as ultimas caches tem andado perto de capelas. Ou isso, ou estou com queda para elas. Bem, primeiro não tenho nada contra capelas, religiões e respectivos etcetras. Só fico preocupado porque ainda não percebi a ligação.
Para padre já estou mais para “lá do que para cá”, frade, também acho um bocado tarde e para acolito só a palavra faz-me dores de barriga. Por isso…

Tudo isto porque fui hoje de manhã procurar a cache do Luís, aquela que já vai na terceira edição. Não que a cache não seja meritória e o moço não seja um “bom artista”, só que é micro e como não podia deixar de ser já tinha lá ido malhar ainda na vigência das coordenadas maradas. Já estão a ver, né? Mas ninguém me manda ir a correr procurar as caches virges de tipos com GPS a carvão! De marcas maradas! Que não lêem as instruções! E que ainda por cima, as escolhem pequenas! E em locais que largam carrapetas! Tenho a camisola cheia de carrapetas Luís! (carrapetas luis…?)

Bem, verdade seja dita que já vi Regulares mais pequenas que aquela micro, honra lhe seja feita. Estava um bocado desconfiado. Da outra vez já tinha andado á nora por causa dela e agora já não sabia quais eram as coordenadas certas… ou erradas… ou atendendo á marca de alguns aparelhometros, se havia algumas certas… e por falar em marcas, há por aí alguns geocacheres… bem… adiante! Onde é que raio é que aquele gajo, (senhor Gajo claro), (não é Gajoclaro, é Gajovirgulaclaro, claro), (fonix!), (que é que eu távadzer?), (áh…),escondeu o taparuere?

Raisparta, lá estou eu á procura das micros…

E como havia arvores, o erro era mais do tipo no “distrito de Lisboa”, do que em metros. Mas daquele lado não é que já procurei da outra vez, só pode ser por aqui, onde é que cabe uma micro?, e uma maior que uma micro?, e onde é que eu punha a micro?, não, o pobre do moço não a punha no lixo…

Afinal lá estava ela, a rir-se! Já percebi porque é que ele diz que é micro, não sendo. Embrulhada em sacos daquela maneira, fica regular em 3 tempos…

Por acaso eu já conhecia o local. Ia para lá “ver as vistas” e “estudar”. Boas recordações…, só a coisa da capela é que me ficou cá atravessada… é alguma sugestão?

Voltando á caxa, retirei um pin, e coloquei um porta chaves. As usual…

Por falar nisso: a coisa de colocar caches pelo caminho é porreira. Aceitam encomendas? Eu saio todos os dias de Cabriz, Lourel, IC16, IC19, CREL, Estádio, Marginal, Terreiro do Paço. Ida e volta. Se colocarem taparueres por perto eu prometo ir lá na semana a seguir. Combinado?


Cabo da Roca , e agora ?

portelada - 2004/05/13

Parece que a "Cabo da Roca" foi arquivada de vez !!!  Acho que temos o "dever" de colocar lá uma cache, nem que seja pela quantidade de turistas que poderão vir para os eventos deste verão … afinal , aquela era das mais visitadas !!!
Eu como moro ralativamente perto, não me importo de colocar lá uma, aliás, já aqui tenho todo o material necessário !!! … mas se alguem tem algum interesse especial nisso, força !!!
resta saber o que fazer, colocar outra completamente nova ou recolocar a mesma (como se faz isso)???


I´m back…

2 Cotas - 2004/05/12

Confesso que já estava destreinado…
Não sei quantos meses desorientado, depois como tenho a mania que sou esperto, lancei dois projectos profissionais sem ter pedido aumento e meti-me em trabalhos que nunca mais vão acabar e por fim obras em casa, mudanças, etc.etc.etc

Mas não pude resistir ao apelo lancinante lançado pelo nosso camarada. Hoje de manhã baldei-me pró emprego, quer dizer meti a tralha no carro e fui em direcção ao trabalho, não disse baldei-me ao emprego… e de depois de despachar a “maria”, quer dizer deixar a Elvira á porta do serviço dela… (caraças, vocês hoje não deixam passar uma, phoniquesse!), introduzi, (…bem… adiante…), as coordenadas no GPS e vai de ir á procura do malfadado taparuere.

Já conhecia o lugar á muito tempo. E tb sabia que hoje em dia esta fechado á circulação automóvel. Por isso lá me deixei conduzir pela vozinha que vocês tão invejosamente comentam. Por falar nisso, agora já não pia, só vai apontado. Ainda não perdi a esperança… Fiquei um bocado desconfiado quando me mandou dar a volta pelo parque do Estádio, mas vá lá… era muito cedo ainda, e a “paragem da cámineta” ainda estava deserta. Depois pôs-se a olhar para mim, (salvo seja!), e a dizer 20 metros á direita. Isto no meio da marginal, tão a ver? A m’rda do aparelho veio na mesma!

Lá dei a volta na esperança de algum energúmeno ter arrebentado com o portão. Mas nada. Hoje estou sem sorte. Tenho mesmo de levantar o c’ do carro.

Conhecem aquela vivenda toda esfrangalhada no cruzamento? Eu também não, só por fora de lá passar. Mas a garagem que fica do lado da mata é de fácil utilização. O guarda é baixote, tem uma deficiência que o obriga a andar quase sempre de 4 e não diz nada que se perceba, mas não pede dinheiro e fala-nos sempre. Impecável. Pois foi ai que estacionei.

Armei a tenda e lá subi as escaditas. Quer dizer a recordação das escaditas. Se alguma vez precisarem ver umas escadas que vão dar a lado nenhum, este é um exemplo a visitar. Passei ao lado da capela. Ainda bem que estava fechada que eu ia com um bocadito de pressa e não me lembrava dos pecados todos. E lá vinha a história dos 20 metros. Ainda andei a procura do autocolante, que eu agora a primeira coisa que faço para não fazer a figura do outro é rapinar logo tudo o que estiver colado…, mas não tinha, era mesmo verdade.
O danado do papelito dizia terreno 1,5, mas este é dos do BTT por isso a probabilidade de estar lixado era bem elevada!
Bem vamos lá dar a volta pode ser que sim… e lá estava um caminhito que dava ligação a um estradita, onde passavam uns velhotes todos esbaforidos para cima e para baixo. A idade faz cada coisa! Quando deviam descansar, andam ás 9 da manhã a correr de um lado para o outro. Depois ainda dizem que tem AVCs!

Bem, chegados ao local do ponto zero, olho para o GPS e tenho um circulo que abrangia VFXira, Alfeite e Oeiras. Tudo bem, não há crise. …os velhotes a passarinhar para cima e para baixo. Vou andando e lá está ela. Não tá mal. È a coisa mais parecida com um pirilampo ecológico. Óhpá se alguma vez se te acabarem os sprays, não tens problema, eu ofereço-te uma colecção deles.

Esperei que os velhotes pifassem todos pra outras bandas… e lá fiz o “trabalhinho”. Beleza. Esta já está! Já não é virgem. Volta tudo pró mesmo sitio aproveitando uma aberta no transito e ala que eu não vim cá fazer turismo. Buteprobulimento….

In: Porta chaves (what else?)
Out: Bolinha de Ping Pong amarela. Por falar nisso, já vos contei a histirinha da bolinha de ping pong amarela? Não… então lá vái… hãmmm? Não era esse “Não”? Era o outro? Qual outro?…


MAIS UMA !!!

portelada - 2004/05/11

Pois é !  Temos mais uma cache , e esta bem perto de Lisboa, num dos pulmões da capital !
De fácil acesso, e òptima para conjugar com uma manhã de desporto, a Alto da Boa Viagem tambem nos conta um pouco de história daquele monte que se ergue onde o Tejo passa a ser Mar .

http://www.geocaching.com/seek/cache_details.aspx?guid=e758e96c-9b34-4e12-99c3-538fab4233d5


Lugar dos Mortos

MigRocha - 2004/05/07

Andei lá na segunda, espreitei em todos os sítios, com lanterna e tudo, e não encontrei. Podem ler o resto do log aqui: http://www.geocaching.com/seek/log.aspx?LUID=7d44bd9a-0229-4525-a977-8270df9211e1

Miguel Rocha


Olá amigos geocachers de Portugal!

ijfields - 2004/05/07

Olá amigos Geocachers de Portugal!

Somos o João e a Isabel, acabados de chegar ao mundo do geocaching.

Embora já conhecessemos a actividade faz uns anos, só agora conseguimos atingir a massa crítica de começar a procurar caches! Já temos duas na nossa lista de encontradas, e vamos a mais!

Tencionamos também esconder qualquer coisa nos tempos mais próximos, vamos lá ver onde…

Cumprimentos e até um encontro destes!



Geocaching@PT 2008 · Powered by WordPress
Disclaimer · Contact Form
Stats: 40 queries in 0.536 seconds.